31.3.09

Fé prolonga o sofrimento de pacientes com câncer

Um recente estudo supõe que pacientes que possuem religião são mais propensos a tomar medidas para prolongar a vida.

Kevin Brumett, diagnosticado com câncer pulmonar aos 29 anos: “Deus está me dando forças para lutar contra isso tanto quanto eu puder”.

Há dois anos, Kevin Brumett foi diagnosticado com um câncer pulmonar. Ele tinha 29 anos, e nunca havia fumado. Depois de uma etapa de tratamento com sucesso, o câncer enfim avançou para sua cabeça. Ainda assim, Brumett está determinado a lutar contra a doença, e diz que Deus o acompanha a cada passo nesse caminho. Ele espera que a sua luta ajude outras pessoas que estão na mesma condição. “Não está certo as pessoas contraírem câncer”, diz Brumett. “Deus está me dando forças para lutar contra isso tanto quanto eu puder”, afirma. Pessoas que lutam contra o câncer, como Brumett, que usam a fé contra uma doença mortal, são frequentemente capazes de se ajustarem psicologicamente a uma doença séria, de acordo com alguns estudos. Mas novas pesquisas sugerem que eles também são mais suscetíveis a exacerbar seu próprio sofrimento nos últimos dias de vida e a se afastarem das pessoas que cuidaram deles. Um recente estudo do Journal of the American Medical Association descobriu que pacientes de câncer que utilizam “estratégias religiosas concretas”, ou a colaboração de Deus para superar a doença, são mais propensos a tomar uma medida heróica na tentativa de prolongar a vida. A chance de eles optarem por respirar por aparelho e outros procedimentos intensivos na última semana de vida é três vazes maior.
Leia mais>>

30.3.09

Evangélicos sem igreja

Do que você sente falta na igreja?

Joel Macedo

O crescimento numérico da igreja evangélica tem impressionado a todos. Entretanto, pesquisadores revelam que o grupo que mais tem crescido nos últimos anos é o dos “crentes sem igreja” – pessoas convertidas, mas que, decepcionadas com os rumos da pregação e da instituição, optaram por uma caminhada pessoal, vivida na intimidade, ou então pela formação de pequenos grupos nos lares, reeditando o cristianismo do primeiro século (ver quadro).

Após tanto crescimento – e alguns escândalos –, a igreja evangélica estará diante de uma crise? Ou estará passando por uma nova Reforma? O fato é que muitos andam descontentes com o que vêem e questionam o modelo de igreja refletido na mídia. Se este desapontamento não pode mais ser ocultado, cabe a pergunta: de que igreja os cristãos sentem falta?

A crise ética de alguns setores, abordada na edição de março de Enfoque, é um fator importante, mas não o único, que tem contribuído para um certo mal-estar no rebanho. Convertida há 12 anos, a enfermeira Carla Fontenelle dá um alerta: “Os pastores, encastelados em seus feudos, viraram celebridades intocáveis e inacessíveis, mas as ovelhinhas estão todas de orelhas em pé”.

Carla conta que já esteve à procura da igreja perfeita, mas concluiu que todas têm seus pontos fortes e pontos fracos: “Nas igrejas históricas, o estudo da Bíblia é minucioso, porém não desperta a sua fé. Aí, a gente vai para uma neopentecostal, fortalece a fé, aprende sobre batalha espiritual, enfrenta seus problemas com a Palavra, mas logo vem a pressão mercantilista e a gente percebe que nosso papel ali é o de sustentar um ministério caro”. Hoje, Carla sonha com uma igreja mais humana, onde as pessoas encontrem espaço para dividir suas fraquezas, sem medo de ficarem estigmatizadas. Ela sonha com igrejas que não abram somente no horário do culto, “onde se possa encontrar aconchego e silêncio para meditação”. A enfermeira lamenta também o distanciamento dos pastores que “ficaram muito ocupados para cuidar de pessoas”.

Leia mais>>

28.3.09

Escolas católicas correm o risco de ter que mudar sua abordagem

HONG KONG (*) - A diocese de Hong Kong está em dúvida sobre o futuro das escolas católicas da ilha. As preocupações foram causadas pela emenda de lei sobre educação aprovada em 2004, pela qual todas as escolas que recebem apoio financeiro do governo devem fazer um acordo com os comitês de diretores de escolas, com um valor diferente de outras instituições de ensino.


O governo assegura que isso concede uma maior transparência e democracia, enquanto os diretores de escola particulares dizem que é apenas uma manobra para permitir a interferência das autoridades na administração das escolas, o que causaria a eliminação do elemento católico na educação.

O cardeal Zen Ze-kiun, arcebispo de Hong Kong, expressou sua preocupação ao dizer que o governo não reconhece a contribuição que as escolas dão para a sociedade. Agora, o Sunday Examiner, semanário da diocese, levantou novamente o problema com medo de que as escolas católicas não estejam aptas a desfrutar da isenção concedida pela lei até 2012.

A reportagem também enfatiza que o modelo proposto pelo governo para melhorar o ensino e administração de muitas escolas arrisca atrapalhar o rendimento das escolas católicas, que têm um grande prestígio e reconhecimento na sociedade de Hong Kong.

As escolas da diocese dão uma ênfase especial em aplicar valores éticos, religiosos e espirituais em seu currículo. Se mais de 200 escolas ligadas à Igreja não puderem continuar a ensinar de acordo com essa abordagem, a missão delas estaria arruinada, e isso prejudicaria toda a sociedade.

Tradução: Deborah Stafussi *

Este país não se enquadra entre os 50 mais intolerantes ao cristianismo.

Fonte: AsiaNews



27.3.09

Reflexão da Semana

por Simone Robortella

Devemos compreender e desenvolver a esperança em nossas vidas para que não nos tornemos preguiçosos espiritualmente e deixemos de herdar as promessas de Deus.

Em Hebreus 6: 11 e12 o escritor diz: “Queremos que cada um de vocês mostre esta mesma prontidão até o fim, para que tenham a plena certeza da esperança, de modo que vocês não se tornem negligentes, mas imitem aqueles que, por meio da fé e da paciência, recebem a herança prometida”. No mundo natural, a expectativa do ser humano se baseia nos pensamentos “positivos”, nas emoções e nos sentimentos, ou seja, naquilo que ouvimos e vemos, porém Deus quer nos levar para um plano maior e real, que é o mundo espiritual, onde rompemos com nosso apoio e expectativas em nós mesmos ou em nossa capacidade de pensar positivamente. Deus deseja que nossa expectativa seja baseada na esperança que Ele nos concede na única coisa totalmente segura e que não falha: Sua Palavra.

A fé e a esperança caminham juntas. Fé é a certeza de que algo que desejamos irá acontecer. É a certeza de que aquilo que esperamos, embora não possamos enxergar no momento, está aguardando por nós. (Hebreus 11:1)

A esperança faz com que fixemos os olhos espirituais no Deus que supre as nossas necessidades e tenhamos a expectativa de alcançar o que desejamos. Com a fé, cremos naquilo que a esperança nos capacita a enxergar. Esperança é mais que desejar e esperar muito por algo é uma expectativa que é colocada por Deus em nós. O termo “expectativa” vem do grego e significa “estar preparado e agir para receber algo”, por isso não se baseia em um sentimento, não vem de algo natural ou de circunstâncias, é algo poderoso que vem de Deus para recebermos D’Ele o milagre que necessitamos.

Assim devemos crescer e transbordar em esperança. “Que o Deus da esperança os encha de toda alegria e paz, por sua confiança nele, para que vocês transbordem de esperança, pelo poder do Espírito Santo” (Romanos 15:13). O poder do Espírito Santo é o segredo para aumentar nossa esperança e elevar nossas expectativas, por isso devemos estar fortemente arraigados e firmados em Cristo e na Palavra de Deus.


26.3.09

Suicídios aumentam no Japão e preocupam governo


Ewerthon Tobace

De Tóquio para a BBC Brasil


Governo de Yamanashi/Divulgação

A “floresta dos suicidas” é o lugar mais popular para se matar no Japão (Foto: Governo de Yamanashi/Divulgação)

O aumento no número de suicídios no início deste ano com o agravamento da crise econômica está causando grande preocupação no Japão.

Em janeiro houve um aumento de 15% no número de casos em comparação com o mesmo mês no ano anterior.

Segundo fontes do governo, a preocupação neste ano é maior por causa da crise econômica que afetou seriamente o país no final de 2008.

Pessoas que perderam o emprego nos últimos meses do ano passado começam a passar por dificuldades agora, após o fim do seguro-desemprego.

O benefício é pago por no mínimo três meses a assalariados despedidos e pode ser recebido, dependendo da faixa etária e de outros fatores, por até um ano. Muitos dos que perderam o emprego em novembro de 2008, por exemplo, devem ter recebido a última parcela do seguro agora em março.

Leia mais>>

25.3.09

Saúde pra valer !

Dr. Silmar Coelho

Você parou de viver e apenas existe. Você acorda; alimenta as crianças; toma café correndo; preocupa-se com as contas; enfrenta o trânsito caótico; trabalha como uma mula; almoça às pressas; fala ao telefone sem parar; volta para casa; termina o serviço de casa; faz o jantar; pede silêncio aos seus filhos; revisa os seus trabalhos escolares; preocupa-se um pouco mais com dinheiro; assiste TV sem ânimo; come outra vez; de tão ansioso não consegue dormir, e assiste todos os jornais da TV até apagar de tão cansado. Então, acorda para viver a mesma rotina cansativa de novo.

As pessoas sorriem para você porque querem lhe vender alguma coisa. O telefone toca para lhe oferecer mais um cartão de crédito. As crianças correm para a escola, a aula de inglês e natação, treino de futebol e jogos de vídeo game ou computador. Preferem a comida do MacDonald do que a sua. Vocês quase não se falam. Ocupados, não mais pensam no que gostam, querem ou precisam para serem realmente felizes.
Leia mais>>

24.3.09

Adoração além do fio da navalha

Cresce número de igrejas em prisões norte-americanas que oferecem ministérios para os presos convertidos.

Ministérios de prisões realizam o culto após a visita dos ministros.

Duas dúzias de homens em uniformes laranjas e azuis vêm à frente, cantando músicas espirituais após receberem a ceia de dois ministros ordenados. “Aleluia, nós vamos ver o Céu”, eles cantaram com vozes barítonas emotivas. A adoração era alegre na Celebration Fellowship, uma igreja fundada no ano passado dentro da Bellamy Creek Correctional Facility em Ionia, Michigan, nos EUA.

Na congregação da prisão, afiliada à Igreja Cristã Reformada, assassinos convictos e traficantes de drogas lêem as Escrituras, oram, e cantam hinos com voluntários de igrejas próximas. “Eles nos tratam como seres humanos”, diz Eric Jewell, 41, dos visitantes. “Você pode sentir o amor sincero que eles têm por nós”, completa. A primeira congregação da prisão em Michigan faz parte de um pequeno, mas crescente, grupo de igrejas oficialmente estabelecidas que ajudam internos a encontrar fé além da navalha.

Diferente de ministérios tradicionais de prisões, as congregações formam comunidades de adoração governadas por conselhos que incluem internos. Eles exercem cargos na igreja, ajudam a planejar, distribuem a Ceia e até dão o dízimo dos seus poucos rendimentos. “A congregação dá responsabilidade para o preso, e então ele aprende a liderar de verdade”, explica Regan Beauchamp, pastor da Prison Lighthouse Fellowship na Penitenciária Estadual de Dakota do Sul, em Sioux Falls. “Eles estão aprendendo a se conectar melhor com o outro e a ser responsável”, afirma.

Localizada em uma unidade de segurança máxima, a igreja batista General Conference é afiliada às Congregações de Prisão da América (PCA), uma organização sem fins lucrativos com base em Mitchell, Dakota do Sul, que foi incorporada em 1994 como suporte da Igreja Evangélica Luterana da América. Suas 14 congregações também incluem ELCA, União Metodista e igrejas Discípulos de Cristo, lideradas por pastores civis.

Key está encontrando igrejas locais para dividir a adoração, suporte financeiro para o pastor e trabalho com os internos que deixam a prisão, diz Mary Mortenson, diretora executiva da PCA. “Quando saem da prisão, eles têm uma conexão com o lado de fora”, conta Mortenson. “Freqüentemente essa conexão positiva é a diferença para eles entre continuar ou reincidir”, explica.

O potencial para ajudar ex-prisioneiros a se reintegrar com a comunidade levou o Departamento de Correção de Michigan (MDOC) a aprovar a igreja na prisão de Ionia como um projeto piloto da Iniciativa de Reintegração do Prisioneiro. Juntando prisioneiro com mentores de igrejas, o programa “oferece uma oportunidade maravilhosa para que o compromisso da fé continue do lado de fora das paredes da prisão,” explica Michael Martin, líder dos capelães da MDOC.

Igrejas oficiais apontam que as congregações de prisão pretendem complementar outros ministérios. “Enquanto estudos bíblicos e serviços de adoração levados por grupos de fora podem prover melhoria espiritual, as congregações dão aos detentos uma comunidade para retornar depois da prisão”, Mortenson diz.

Charles Colson’s Prison Fellowship, que manda mais de 22 mil voluntários em 1.800 prisões cada ano, não é afiliada às congregações de prisão, mas é compatível com elas, diz o presidente Mark Earley. O ministério começou com um programa piloto com o Urban Ministry Institute de Los Angeles para treinar pastores da área a como plantar igrejas nas prisões. Em prisões onde há dificuldades de conseguir voluntários de fora, os membros da igreja da prisão “podem exercitar a liderança trazendo homens ou mulheres e organizá-los em torno da vida santa”, Earley diz. “Eles estão funcionando como o corpo de Cristo encarcerados atrás das paredes da prisão”, afirma.


Copyright © 2009 por Christianity Today International

(Traduzido por Sulamita Ricardo)

23.3.09

Vindo de nosso Jesus Cristo

A cada dia fico mais convencido que a verdade é necessária em todas as circunstâncias da vida. Onde falta a verdade prevalece a dor e o medo, a falta da verdade faz a desconfiança ser o cardápio diário. Também tem aquelas meias verdades que constitui veneno mortal. O coração do ser humano sempre tem uma inclinação para opor-se a essa nobreza divina. Mas a verdade cobra presença no dia-a-dia da vida.

Um dia um homem íntegro deixou o mal entrar no coração através da desobediência ao Deus Eterno. O maldito Satanás, personificado na serpente disse à humanidade que o Eterno não tinha proibido sob pena de morte o alimentar do fruto do conhecimento do bem e do mal. O maligno, a ideologia do mal sempre vem com eufemismos, diminui os prejuízos que a meia verdade proporciona. Quando a meia verdade tornou-se prática na vida da humanidade “edênica” reinou a desconfiança entre um e outro, imperou as acusações mútuas. O homem disse: “A mulher que me deste por companheira, ela me deu da árvore, e comi (Gn 3.12). Onde falta a verdade estabelece o oposto, fica a mentira e ela traz consigo uma gama de produtos.

Cada um começa a justificar a falta da verdade e projetando a culpa em um terceiro, tentando justificar-se. A mulher projetou a culpa na serpente e continuou a nutrição da falta da verdade, transferindo sua decisão para a serpente que a aliciou de maneira que a atração foi mais forte do que o valor da verdade. Disse a mulher:” E disse o SENHOR Deus à mulher: Por que fizeste isto? E disse a mulher: A serpente me enganou, e eu comi” (Gn 3.13). Depois que a verdade falta, o mal estabelece e dissemina sua filosofia de vida.

Como o sofrimento legisla quando expulsamos a verdade. Reina a dor emocional de trair quem se ama, reina o medo, porque se a verdade vir à tona vou perder. Medo, pavor e desespero encontram guarita na alma, sobre-saltos tomam o coração; começam os raciocínios mentirosos: “se eu falar a verdade para a milha filha, vai terminar perdendo-a” “Como falarei isso para o meu (a) esposo (a), por certo ele (a) não entenderá e me jogará fora, e irá me desprezar” “Bem! Meu pai não é um homem compreensivo, se eu falar das drogas, da minha curiosidade em provar o mal, vai me enxotar de casa aos berros ...”.

Assim vive toda pessoa que fundamenta sua vida na prática da inverdade. Uma vida de sobre-saltos e sustos, porque a qualquer momento a verdade vai aparecer. Até estabelecer a verdade, vive-se em conflito e medo. Se faltar a verdade, falta o poder de poder, vem a inércia e solidifica, paralisando ações e atitudes, como resultado vem fuga e esconderijos.

Quanto se coloca a verdade, há cura, restauração, restituição e paz. É muito interessante observar que a verdade cobra sua presença em todas as áreas da nossa vida. Paulo escrevendo a comunidade cristã de Corinto, diz: “Porque nada podemos contra a verdade, senão pela verdade (2ª Cor 13.8). Sofre-se muito mais, quando falta a verdade, do que quando a estabelece. Na prática e na colocação da verdade há poder. Poder de viver dignamente, assumindo fraquezas e debilidades. É melhor conviver com um “fraco”, um “débil” verdadeiro, a viver com um débil e fraco mentiroso. Os fortes expõem suas fraquezas e debilidades. Parece que falta espaço para os fracos neste mundo, parece que os fortes assumiram todos os lugares e espaços, não existe mais o “Qg” para expor fraquezas.

Como diz o texto do poeta português, o Fernando Pessoa: “estou cansado de heróis”. Parece que os fracos estão assumindo o mundo, escondendo a verdade, omitindo as fraquezas, escondendo, camuflando-a. Não seja herói, não conquiste pela mentira, isso é mito, a verdade sempre aparece. Não há nada que não venha ser descoberto, diz o texto sagrado.

Mas como expor a verdade? O poder vem da fraqueza, procure ajuda de pessoas maduras e que ama ao Senhor. Confesse, admita que errou, que está arrependido, que tem vivido uma mentira. Revelar o lado escuro da personalidade dói, mas a dor é menor que os sobre-saltos de andar escondido. O tempo vai levar a uma verificação que viver permitindo que a verdade seja visível, trará paz e tranqüilidade e acima de tudo trará poder. A Bíblia diz que quem confessa e deixa o pecado (mentira) alcança misericórdia. Que o Eterno nos ajude!

Fonte:www.atosdois.com.br
Pr. Cirlon Pereira Moreira

22.3.09

Descarrego doloroso

Aposentada acusa pastor da Igreja Universal de havê-la espancada durante oração de libertação.

Uma ação judicial inusitada está tramitando na Comarca de Piracanjuba (GO). É um processo por danos morais ajuizado pela aposentada Ana Jorge Siqueira contra a Igreja Universal do Reino de Deus (Iurd). Ela alega que, acreditando estar “possuída por demônios”, procurou um templo da denominação com a esperança de que as sessões de descarrego – cultos anunciados como solução para este tipo de problema espiritual – a ajudariam a se livrar da suposta possessão. Contudo, durante o procedimento, realizado durante um culto de domingo, o pastor da igreja, identificado apenas como Rone, teria agredido a mulher, jogando-a ao chão e causando-lhe hematomas e contusões.
Em sua contestação, a Igreja Universal afirma que Ana estava fraca e debilitada na ocasião, pois havia saído do hospital no dia anterior aos fatos. A igreja argumenta, ainda, que a aposentada não teve cautela com seu estado físico, pois já chegou ao culto passando mal. Ainda de acordo com a Iurd, ela desmaiou durante a oração. Em sua defesa, a organização religiosa alega ainda que suas práticas litúrgicas são amparadas pela Constituição Federal, já que constituem exercício de crença.



Segundo o Tribunal de Justiça de Goiás, a ação, a cargo do juiz Eduardo Walmory Sanches, está em processo de instrução, que corresponde à coleta e apresentação de provas pelas partes. (Fonte: Diário da Manhã)

21.3.09

A intimidade do casal de namorados

É comum que um casal de namorados concorde com qualquer conceito que favorece o relacionamento deles. Mas, se algo dificulta usufruir do grande amor que um tem pelo outro, então isso não é bem-vindo, mesmo que venha da Bíblia e de Deus. Os apaixonados são cúmplices, se entendem muito bem e acham que ninguém é capaz de compreender a dimensão do amor que têm.Alguns casais acham que ter relações sexuais no namoro, é um meio de se conhecerem melhor e provarem o amor mútuo, mesmo que esse seja um argumento simplista demais.

Pelo fato de namorarem a alguns meses, acham que “se conhecem muito bem”.

Muitos quando começam o namoro, não concordam com isso, mas, como “o amor é cego”, com o tempo esse pensamento cai por terra. Os anticoncepcionais facilitam essa prática.Quando o casal está de acordo, essa aventura se concretiz
a facilmente.

Porém, o que muitos não sabem é que na hora mais esperada as coisas não acontecem como imaginadas. A falta de experiência, o sentimento de culpa, o medo de serem descobertos e a necessidade de manterem o fato escondido, se torna um tormento e não um prazer. Sem falar na possibilidade de uma gravidez indesejada e possíveis doenças sexualmente transmissíveis. E aí, aquilo que poderia ser um prazer, pode se tornar um terror que poderá permanecer por toda a vida, pois a consciência é a única namorada da qual jamais po
deremos nos livrar. Quanto à falta de experiência, ninguém precisa treinar para isso, ela acontece naturalmente no casamento. Os órgãos genitais não se atrofiam e facilmente se ajustam, pois são feitos de músculos.A chamada “prova de amor” com o sexo antes do casamento, é exatamente falta de amor. A Bíblia diz que “o amor não pratica o mal contra o próximo” (Rm 13.10). E o sexo no namoro é um mal a si e ao próximo, pelas razões já citadas e tantas outras.

A desconfiança paira na relação. Se ele e ela não foram capazes de esperar até o casamento, poderão suportar um caso dentro casamento? Se não fora
m capazes de dizer “não” antes do casamento, qual será a resistência para não dizerem um outro “sim” fora do casamento? Que modelo darão aos filhos ao ensinarem os bons princípios de conduta nessa área? É claro que Deus perdoa esse pecado, mas a cicatriz fica.A intimidade do casal deve ser no coração, não nos órgãos genitais com carícias e relações sexuais. Um casal de namorados que não desenvolve uma verdadeira amizade, se torna mais vulnerável, mesmo depois do casamento.

O calor da paixão na adolescência é pouco consistente como prova para os anos seguintes. Essa é uma fase de mudanças rápidas no corpo e nas emoções.

Sabe-se que um adolescente pode se apaixonar em média até cinco vezes antes de completar vinte anos.

Cada um deve se guardar para aquela pessoa com a qual se viverá por toda a vida depois do casamento.Volto a citar os anticoncepcionais, para dizer que eles não fazem bem para uma menina adolescente. Por impedir a ovulação, eles alteram o ciclo menstrual, podendo até provocar esterilidade. Se o uso de pílulas acontecer por muito tempo, a moça poderá ter sua menstruação completamente interrompida, exigindo um complexo tratamento posterior.

Em nome do amor paixão, não compensa abusar do próprio corpo com pílul
as e práticas sexuais com uma pessoa que você não tem aliança com ela.

A satisfação de alguns minutos não podem superar a tortura de dias, meses e anos pela frente. Por mais que se queira negar, é impossível viver em paz no pecado.
Leia mais>>

Apresentador de programa cristão é agredido por muçulmanos

INGLATERRA (*) - Um pastor e apresentador de TV foi atacado por muçulmanos no que a polícia chama de “crime de ódio religioso”.

O pastor Noble Samuel, 48, nascido no Paquistão, estava indo para o estúdio de gravação de seu programa quando um carro estacionou na frente dele. Um homem desceu do carro e pediu informações sobre como chegar em Urdu.

De acordo com o pastor Noble, o homem “colocou a mão em minha janela, que estava meio aberta, agarrou meu cabelo e abriu a porta. Ele começou a bater em meu rosto e pescoço. Ele tentava esmagar minha cabeça no volante, então agarrou minha cruz e a puxou. Os outros dois homens saíram do carro e levaram minha Bíblia e meu laptop”.

Depois do ataque, o pastor Samuel foi apresentar o programa normalmente. O dono da rede de televisão, muçulmano, entrou no ar para condenar o ataque. Durante as últimas semanas, o pastor Samuel percebeu que muitos muçulmanos ligaram para o programa opondo-se a suas opiniões. “Eles discutiram comigo; estavam muito agressivos por discordarem de minha visão cristã.”

A polícia alertou a família sobre a possibilidade de próximos ataques. O pastor disse temer pela segurança de sua mulher e filho.


Tradução: Deborah Stafussi

* Este país não se enquadra entre os 50 mais intolerantes ao cristianismo.

Fonte: Christian Today





Refaça as conerxões quebradas

PR. JEREMIAS PEREIRA

Dois irmãos viviam harmoniosamente em duas fazendas vizinhas. Herança deixada pelos seus saudosos pais. Esses, antes de morrerem, rogaram aos filhos que os dois nunca ficassem inimigos um do outro. Afinal, eles tiveram somente os dois.

Certo dia, por causa de uns animais que invadiram a fazenda um do outro, começou uma pequena discussão. Mas, o tom da voz foi aumentando e chegaram a gritar ofensas um para o outro. Faltou um cisquinho para uma troca de empurrões.
Irados, deram as costas um ao outro e depois de algum tempo, não se falavam mais. Proibiram as esposas e os filhos de visitarem os parentes. Foi muito choro, pois eram duas famílias muito amigas e amavam uns aos outros. Proibiram os sobrinhos de mencionarem o nome dos tios dentro de casa.
Os dias foram passando e aquelas duas famílias já não viam, nem se falavam há muitos e muitos meses.

Um dia, um velho carpinteiro, que trabalhara para seus pais, visitou o irmão mais velho em sua fazenda, perguntando se havia algum trabalho para fazer.
- Olha, se você quer trabalho, faça o seguinte. Está vendo aquele riacho ali embaixo? É a divisa entre a minha fazenda e a de meu irmão. Pegue toda aquela madeira que está ao lado da casa da fazenda, e construa uma cerca bem alta. Não quero ver nem a fazenda do meu irmão, nem o vulto dele, nem a sombra, nem nada da casa dele. Faça isso e lhe pagarei bem, disse o fazendeiro com o coração cheio de rancor e de arrogância.
Leia mais>>

Índia

Indianos lavam roupa e tomam banho à margem do Rio Ganges enquanto um pássaro se alimenta do cadáver que boia nas águas

A nova novela das 8 da Rede Globo mal começou e já tem gente se encantando pela Índia. Aproveitando a onda, agências de viagem oferecem pacotes para todos os gostos e bolsos. Todos querem a mesma coisa: ver de perto toda a opulência de palácios e templos, a riqueza material e espiritual, trajes esvoaçantes que dançam e colorem as ruas da Índia. Porém, pouco disso é verdade. O folhetim Caminho das Índias, da autora Glória Perez, ultrapassa o limite da fantasia e transmite, diariamente, uma Índia que não existe.

É claro que, antes de tudo, é bom lembrar que a novela não tem obrigação de ser documentário, e, portanto, não cabe a ela mostrar o país real, e sim o que lhe é conveniente e traduza uma beleza plástica do jeito que o público gosta. Agora, não compre a passagem, pendure a máquina fotográfica no pescoço e não desembarque no país acreditando que encontrará somente as maravilhas exibidas na televisão.
Leia mais>>

A Conversão de Zaqueu

Prof. Anísio Renato de Andrade


Passando por Jericó, Jesus foi seguido por uma grande multidão (Lc.19.1). Naquela cidade morava Zaqueu, chefe dos publicanos, que eram os coletores de impostos para o governo romano. Se um cobrador ou fiscal de tributos já é mal visto pelos contribuintes, quanto mais aqueles que recolhiam o dinheiro de seus concidadãos para entregá-lo ao dominador estrangeiro. Se um publicano já era rejeitado pela comunidade, quanto maior ódio se manifestava contra o chefe da coletoria.

Zaqueu queria ver Jesus, mas sua pequena estatura colocava-o em desvantagem diante da multidão. Mesmo saltando, talvez não conseguisse vê-lo. Se entrasse no meio do povo, corria o risco de ser pisoteado, principalmente sendo o “inimigo público número um”. Teve, então, a ótima idéia de correr na frente de todos e subir numa figueira brava.

Podemos comparar a estatura de Zaqueu às nossas limitações pessoais. Talvez tenhamos bons desejos, boas intenções, mas estamos limitados e impedidos de realizá-los. Muitos querem conhecer Jesus e servir a Deus, mas não estão à altura do padrão divino. Então, buscam recursos naturais ou humanos para superar seus próprios limites.

Leia mais>>

Anísio Renato de Andrade – Bacharel em Teologia.
Professor do Steb - Seminário Teológico Evangélico do Brasil
e do Sebemge - Seminário Batista do Estado de Minas Gerais

Astros convertidos

Roqueiros, como o baterista do Iron Maiden, antes idolatrados por multidões de fãs, agora cultuam a Jesus Cristo.


Nico McBrain, baterista do Iron Maiden: “Um dos maiores truques do Diabo é fazer você acreditar que ele não existe”

A banda inglesa Iron Maiden, que estourou nos anos 80 com o estilo Heavy Metal de fazer rock, desembarcou no Brasil na última quinta-feira, dia 12, para se apresentar pela turnê Somewhere Back In Time. O grupo, precursor do estilo e considerado um dos melhores do gênero, conta novamente com a sua formação original. A popularidade entre os roqueiros se deu através de sua maneira única de soar em canções, letras e capas de discos. O nome “Iron Maiden” é inspirado em um instrumento de tortura medieval, o qual se acha representado no filme O Homem da Máscara de Ferro. Suas letras exploram temas que vão do ocultismo a lendas, filmes, histórias de assassinatos, o escuro e a simbologia do número 666. Além disso, as capas dos álbuns são singulares, pois exibem sempre o mascote da banda, Ed, um morto vivo, em cenas sugestivas aos temas de cada disco.


Leia mais>>

18.3.09

Religiosos lutam contra a morte com mais intensidade, diz estudo


Religião cristã (arquivo)

Ainda não se sabe a razão de os mais religiosos

pedirem cuidados intensivos

Um estudo de um instituto de tratamento do câncer nos Estados Unidos sugere que pessoas com fortes crenças religiosas lutam com mais intensidade contra a morte.

Pesquisadores do Instituto do Câncer Dana-Faber, de Boston, Massachusetts, acompanharam 345 pacientes com câncer em fase terminal até a hora de sua morte.

Leia mais>>

Ban pede apoio para Convenção sobre Bombas-Cacho

Tratado é passo fundamental para esforços globais de proteger civis e controlar a expansão da munição também conhecida como cluster ou bombas de fragmentação.

Bombas de fragmentação

Bombas de fragmentação

Mônica Villela Grayley, da Rádio ONU em Nova York.*

As Nações Unidas abrigam, nesta quarta-feira em Nova York, um evento de assinatura da Convenção sobre Bombas de Fragmentação.

O Secretário-Geral, Ban Ki-moon, pediu a todos os países-membros da ONU que firmem o documento.

Leia mais>>

Professor é demitido e alunos são suspensos por discutir a Bíblia

PAQUISTÃO (13º) Um professor cristão foi demitido e dois alunos foram suspensos de um colégio na província de Punjab sob as alegações de “humilhação ao islã” e “abençoar descendentes judeus” de Abraão, o patriarca bíblico de Israel. Javed Raza, também evangelista, disse que foi demitido porque o diretor do instituto e os “alunos muçulmanos radicais” opuseram-se à interpretação que ele fez da Bíblia. Raza afirma que as tensões começaram em dois de março, após uma palestra, quando ele respondeu algumas questões sobre Abraão e seus filhos Ismael e Isaque. “Eu expliquei que Isaque era o filho prometido por Deus”, mesmo Sara sendo muito velha. Os alunos demonstraram desaprovação com o que foi falado.

Leia mais>>

17.3.09

Sombras do cumprimento das profecias

A Bíblia relata que nos últimos dias os líderes do mundo terão" um só pensamento" e oferecerão "à besta o poder e a autoridade que possuem" (Ap 17.13). Essa é uma idéia-chave que devemos ter em mente quando analisarmos essa grande tragédia causada pelos terroristas nos EUA. É preciso que entendamos também que isso é apenas mais um passo em direção ao cumprimento da profecia bíblica.

Precisamos compreender que um novo mundo globalizado está sendo criado. Todo o planeta viverá em paz e prosperidade, até mesmo no aspecto religioso. O mundo estará tão unido que "...adorá-la-ão (à besta) todos os que habitam sobre a terra" (Ap 13.8). Esse versículo refere-se claramente ao Anticristo.

Entretanto, esse alvo não pode ser atingido sem que o Anticristo engane as pessoas. Até mesmo os países democráticos que mantêm as relações mais estreitas no mundo ocidental nem sempre concordam uns com os outros em todas as ocasiões. Para que seja formada uma verdadeira unidade global, o país mais populoso da terra, a China comunista, também deve ser integrado no processo de unificação (ela já foi aceita na OMC – Organização Mundial do Comércio – N.R.). Além disso, o mundo islâmico, com 1,18 bilhões de fiéis, deve ser apaziguado e, de algum modo, chamado a participar como membro igualitário da união das nações. Isso só pode ocorrer quando o Anticristo iludir a todos.

Leia mais>>

16.3.09

Amando tudo o que temos em Deus

Jamais podemos administrar nosso dinheiro com sabedoria sem primeiro se submeter a ela. O gasto com sabedoria requer fazer planos para não se gastar além do que ganhamos. Não podemos ter tudo que amamos, mas podemos amar o que temos.

QUAIS SÃO AS NECESSIDADES DE UMA FAMÍLIA?

Na Bíblia podemos encontrar o planejamento familiar ideal. Lá estão:

1 - Como temer a Deus; Temer a Deus é a principal característica de quem não aceita as disposições internas erradas, pois, dentro da consciência do homem são natas as percepções do certo e do errado mesmo ele tendo nascido com a natureza de Adão - (Rm. 2:15) “Pois mostram a obra da lei escrita em seus corações, testificando juntamente a sua [consciência] e os seus pensamentos, quer acusando-os, quer defendendo-os)”.

Temer é odiar o pecado em todas as suas formas – (PV. 1:7; 8:13;) “O [temor] do Senhor é o princípio do conhecimento; mas os insensatos desprezam a sabedoria e a instrução...O [temor] do Senhor é odiar o mal; a soberba, e a arrogância, e o mau caminho, e a boca perversa.” Temer a Deus é um referencial de vida, e este referencial é Jesus. Em Cristo já estão inseridos: moral, ética, comportamentos etc. como diz esta passagem; (Cl. 2;3) “Nele (em Cristo) estão escondidos todos os tesouros da sabedoria e do conhecimento.” (NVI), e estas disposições são imutáveis – (Tg. 1:17) “Toda boa dádiva e todo dom perfeito vêm do alto, descendo do Pai das luzes, que não muda como sombras inconstante.” (NVI). É necessário abraçar o padrão de vida dado por Deus, e não se apoiar no que o mundo prega, que é dizer que tudo e relativo, inconstante.

Leia mais>>

15.3.09

O DIABO MORA NA PORTA DA NECESSIDADE



Jesus disse aos judeus que Deus poderia “das pedras suscitar descendência à Abraão”. Entretanto, Ele negou-se a transformar pedras em pães. Mas, paradoxalmente, iniciou Seu ministério transformando água em vinho.

Portanto, quando da tentação—ocasião na qual negou-se a transformar pedras em pães—a ênfase não recai na violência essencial, do ponto de vista físico, que tal “transformação” implicaria, mas sim nas razões que o induziam a ver naquilo uma tentação.

Ora, Ele estava sendo sugestionado pelo diabo, e, em toda sugestão que carregue uma motivação errada, não importando o que seja, seguí-la, é sempre algo mal.

Aqui, neste ponto, fica claro que a questão de Jesus para não realizar aquele feito, não era de natureza moral e nem teológica, mas sim existencial. Seguir aquela sugestão seria mal tanto em razão da motivação—de um lado, fome; de outro, demonstração de poder—, quanto também em razão do motivador: o diabo.

De fato, o diabo mora na esquina onde a necessidade e oferta se encontram sob o patrocínio da fome.

O interessante, naquele episódio, é que o diabo não faria nada, e não fez nada, exceto sugerir que Jesus fizesse algo por Si mesmo. Isto porque o diabo precisa do indivíduo para realizar qualquer coisa. O diabo não realiza nada na Terra sem o homem.

O mal não é pré-definido, necessariamente. Às vezes ele o é, e todos sabemos quando ele já chega com sua própria cara. Na maioria das vezes, entretanto, o mal não tem cara de nada mal, exceto pelo fato que ele realiza o casamento da necessidade instintual ou existencial, com a oferta de algo que seria anti-natural, mas realizaria um alívio imediato.

As tentações que nascem do instinto e da existencialidade são poderosas. Aliás, essas são as únicas tentações que de fato tentam.

O erro, nesse caso, está na entrega da necessidade à sugestão que vem de fora. É esse ceder à sugestão aquilo que conflitua a alma. Isto porque, sozinho, Jesus jamais transformaria pedras em pães a fim de se alimentar. Mas quando o diabo se imiscui no ambiente da necessidade, então, a simples fome virou tentação.

Ter fome não é mal, ao contrario, é bom. Pouca coisa é tão ruim quanto fome zero. Viver sem fome pode ser muito ruim, e quem já sofreu de algum tipo de inapetência sabe o que estou falando.

O equilíbrio da existência está entre a fome e o pão. Pão sem fome é um horror, e fome sem pão é uma desgraça.

É justamente nesse limbo que o diabo mora!

O diabo não vive do que é mal, mas sim de transformar o que é bom em algo ruim, pois que, tal coisa, se realizaria como concessão dele. O diabo adora pretender fazer concessões. Ele sabe que são essas concessões ilegítimas aquilo que torna até o ato de comer pão em algo culposo.

Na realidade aceitar algo como concessão do diabo é aquilo que torna qualquer coisa em algo ruim.

Nesse caso, o corpo treme de fome, e as pulsões de estranhos desejos se somam à necessidade, e a alma mergulha a caminho da transgressão a si mesma.

Pior do que a fome é o pão que carrega a sugestão do diabo!

Jesus se viu livre da tentação não negando a necessidade (o pão), mas afirmando a necessidade superior do ser: comer também e, sobretudo, a Palavra de Deus.

Negar a fome aumenta a tentação. Assumi-la, esvazia a tentação.

Quando você estiver com “fome”, e for algo normal, não negue a fome—afinal, depois de 40 dias e noite quem não estivesse morrendo de fome seria anormal—, ao contrário, respeite-a e chame-a pelo nome, você mesmo, e não deixe que ninguém se torne senhor de sua necessidade.

Jesus saiu dali e foi comer. E comeu comida de anjos. Mas só comeu o que era bom porque negou-se a comer conforme o cardápio do diabo.

Nenhuma necessidade humana é pecaminosa. A pecaminosidade da necessidade é apenas fruto da sugestão e de como ela vem.

Ora, assim como é com Deus, assim também é com o diabo, pois a questão não é o quê, mas sim como.

Sim, eu repito: a questão não é o quê—posto que todas as coisas provêm de Deus—mas sim “como”, posto que nem tudo o que é bom, é bom sempre, pois todo bem se torna em mal quando o patrono da solução é o diabo.

Assim, não se preocupe com a sua fome, mas apenas com as “soluções” que você encontra.

E lembre-se: Nem só de pão vive o homem, mas de toda Palavra que sai da boca de Deus.


Caio Fábio

Extraído de www.caiofabio.com

14.3.09

A idolatria do consumo

O espaço urbano trouxe consigo a embalagem e o lixo dos produtos de mercado.


Por
CARLOS QUEIROZ



A aglomeração de seres humanos em comunidades urbanas é um dos frutos da modernidade. Intensificado a partir da Revolução Industrial do século 18, o fenômeno da urbanização logo se mostrou irreversível – 80% da população brasileira, por exemplo, vive nas cidades. E, no espaço urbano, a vida vai se tornando atrativa e ao mesmo tempo complexa. As cidades modernas são um encanto tecnológico: aviões cruzam os céus acima de monumentais blocos de apartamentos; trens e metrôs atravessam trilhos em alta velocidade, enquanto os shoppings, templos suntuosos do consumo, viraram centros de convivência que exercem uma atração irresistível.

Ao mesmo tempo, o espaço urbano trouxe consigo a embalagem e o lixo dos produtos de mercado. O mundo urbanizado aglutinou e incrementou a violência, acentuando a miséria e popularizando a fome. As metrópoles concentraram a riqueza e criaram novos atores sociais. A criminalidade, fenômeno decorrente das desigualdades e da cegueira social, é um câncer que cresce sem controle nos grandes e pequenos centros urbanos, acuando seus habitantes e criando guetos impenetráveis ao poder público. E, neste mesmo espaço, homens e mulheres buscam viver com dignidade, mas são impedidos pelos poderes e potestades deste século.

Leia mais>>
Fonte:

Vaticano critica excomunhão no caso de aborto de menina de nove anos

Assimina Vlahou

De Roma para a BBC Brasil

Rino Fisichella (arquivo)

Para Rino Fisichella excomunhão foi decisão apressada

Em artigo publicado pelo jornal da Santa Sé, o Osservatore Romano, neste sábado, o presidente da Academia Pontifícia para a Vida, Monsenhor Rino Fisichella afirma que os médicos que praticaram o aborto na menina de 9 anos, grávida de gêmeos após ter sido estuprada pelo padrasto, não mereciam a excomunhão.

"São outros que merecem a excomunhão e nosso perdão, não os que lhe permitiram viver e a ajudarão a recuperar a esperança e a confiança, apesar da presença do mal e da maldade de muitos", escreve Monsenhor Rino Fisichella, um dos mais próximos colaboradores do papa Bento 16 e maior autoridade do Vaticano em bioética.

Na avaliação do prelado, o arcebispo de Recife e Olinda, José Cardoso Sobrinho, foi apressado e deveria ter se preocupado primeiro com a menina.

"O caso ganhou as páginas dos jornais somente porque o arcebispo de Olinda e Recife se apressou em declarar a excomunhão para os médicos que a ajudaram a interromper a gravidez. Uma história de violência que, infelizmente, teria passado despercebida se não fosse pelo alvoroço e pelas reações provocadas pelo gesto do bispo."

Segundo Monsenhor Fisichella, o anúncio da excomunhão por parte de D. Jose Cardoso Sobrinho colocou em risco a credibilidade da Igreja Católica.

"Era mais urgente salvaguardar a vida inocente e trazê-la para um nível de humanidade, coisa em que nós, homens de igreja, devemos ser mestres. Assim não foi e infelizmente a credibilidade de nosso ensinamento está em risco, pois parece insensível e sem misericórdia", escreve o bispo.

'Como um machado'

Na avaliação do prelado, a prática do aborto neste caso não teria sido suficiente para dar um parecer que "pesa como um machado", porque houve uma contraposição entre vida e morte.

Ele reconhece que, devido à idade e às precárias condições de saúde, a menina corria serio risco de vida por causa da gravidez. E justifica os médicos, que em sua opinião, merecem respeito profissional.

"Como agir nesses casos? É uma decisão difícil para os médicos e para a própria lei moral. Não é possível dar parecer negativo sem considerar que a escolha de salvar uma vida, sabendo que se coloca em risco uma outra, nunca é fácil. Ninguém chega a uma decisão dessas facilmente, é injusto e ofensivo somente pensar nisso."

De acordo com o presidente da Academia Pontifícia para a Vida, segundo a moral católica a defesa da vida humana desde sua concepção è um principio imprescindível.

O aborto não espontâneo sempre foi e continua sendo condenado com a excomunhão, que é automática.

"Não era, portanto, necessária tanta urgência em dar publicidade e declarar um fato que se atua de forma automática, mas sim um gesto de misericórdia."

Fonte:

13.3.09

Sérgio Lopes - Para onde vão as aves

Segunda Vinda de Cristo

“Então se verá o Filho do homem vindo Numa nuvem. Com poder e grande glória.” Lc 21.27

A seguir relaciono uma série de texto a respeito da breve volta de Cristo. Abra sua Bíblia e em oração e na sensibilidade ao Espírito Santo medite na Palavra.
Não faço comentários, pois a Bíblia não diz literalmente como será este retorno, e prefiro não entrar na área das suposições. Mas afirmo sem medo de errar: “Cristo voltará!
Veja:
"Respondeu-lhe Jesus: Tu o disseste; entretanto, eu vos declaro que, desde agora, vereis o Filho do Homem assentado à direita do Todo-Poderoso e vindo sobre as nuvens do céu." Mt 26.64;
"E lhes disseram: Varões galileus, por que estais olhando para as alturas? Esse Jesus que dentre vós foi assunto ao céu virá do modo como o vistes subir" At 1.11;
"E, assim como aos homens está ordenado morrerem uma só vez, vindo, depois disto, o juízo, assim também Cristo, tendo-se oferecido uma vez para sempre para tirar os pecados de muitos, aparecerá segunda vez, sem pecado, aos que o aguardam para a salvação." Hb 9.27,28

A volta está próxima, Prepare-se!”

Leia mais>>

Fonte: VIVOS! O Site da Fé Cristã.

O golpe da oração

Enquanto orava e falava da Palavra de Deus, criminosa se aproveitava da distração das pessoas para furtar.


De sandálias, óculos, saia comprida e com uma Bíblia na mão – o estereótipo clássico das senhoras evangélicas –, a dona de casa Suenilda Terezinha de Medeiros, de 54 anos, jamais despertaria suspeitas. Ela era conhecida na periferia de Sorocaba (SP), cujas ruas percorria fazendo o que chamava de ministério itinerante: ia de casa em casa, anunciando o Evangelho e oferecendo-se para entrar e orar pelos moradores. Muita gente aceitava a gentileza de bom grado. Mas era justamente aí que a ovelha virava loba. Durante as orações, Suenilda se aproveitava da distração das pessoas e furtava dinheiro, jóias, objetos de valor e até cartões de aposentadoria. Ela foi presa depois que a dona de casa R.M., de 67 anos, a surpreendeu subtraindo dinheiro e cheques em sua residência, depois que ambas oraram e tomaram café com bolo.


Detida desde a última segunda-feira na cadeia feminina de Votorantim, a falsa religiosa foi reconhecida por várias vítimas, todas senhoras idosas que moram sozinhas e eram presas fáceis. A polícia acredita que ela tenha cometido pelo menos vinte furtos na região, sempre usando a lábia e a aparência de piedade para ludibriar a boa fé alheia. Suenilda já tinha seis passagens anteriores pela polícia por furtos e roubo. Outras vítimas reconheceram a mulher depois que sua foto foi divulgada pela polícia. Agora, a ladra vai responder a processo pelo crime de furto qualificado, mediante fraude ou abuso de confiança.


Fonte: AGENCIA ESTADO

Reunião analisa políticas globais de combate às drogas

Encontro reúne ministros e autoridades de 53 países-membros da Comissão de Narcóticos; estão sendo debatidos dependência, lavagem de dinheiro e cooperação internacional; reunião deve apresentar plano de ação para a próxima década.

Mônica Villela Grayley, da Rádio ONU em Nova York.

Crime: plano de ação global

Começou nesta quarta-feira, em Viena, na Áustria, a 52ª. sessão da Comissão de Narcóticos das Nações Unidas.

Participam do encontro ministros de Estado e autoridades especializadas no combate de entorpecentes.

Usuários

A agenda inclui cooperação internacional no combate às drogas, abuso de substâncias químicas e lavagem de dinheiro, entre outros temas.

A conferência também deverá produzir um plano de ação global para a próxima década.

Segundo o Escritório das Nações Unidas sobre Drogas e Crime, Unodc, o número de usuários equivale a cerca de 5% da população mundial.

A encarregada de informação do Unodc, Luciana Viegas, disse à Rádio ONU, de Viena, que o encontro analisará o papel da sáude nas políticas de combate a entorpecentes.

"O mais importante é a questão de colocar a saúde no centro e ver no problema das drogas um problema de saúde. Não só uma questão de uma política de lei e ordem, mas de saúde. A presidência da sessão é ocupada pela Namíbia e pelo México que é um país que está sendo muito afetado pelo problema das drogas. Eu acho que a situação da oferta também estará sendo bastante discutida nos próximos dois dias", afirmou.

Crime Organizado

Analistas dizem que as atuais políticas de combate às drogas estariam levando a um aumento do crime organizado.

Numa declaração, nesta terça-feira, a alta comissária de direitos humanos da ONU, Navi Pillay, afirmou que a redução de danos e os direitos humanos devem ocupar um papel central nas discussões internacionais para responder ao abuso de substâncias ilegais.

Pillay lembrou que os usuários, com muita freqüência, são vítimas de ações que se concentram mais na punição que no tratamento.

Segundo ela, não se deve em circunstância alguma aplicar técnicas de tortura como parte da política de combate às drogas, e que os condenados por delitos relacionados ao problema não devem ser transferidos para países onde poderão ser torturados.

O encontro de alto nível dos ministros de Estado e demais autoridades termina nesta quinta-feira. A sessão em si deve durar até 20 de março.

Fonte:


Pastora é obrigada a interromper trabalhos e se mudar

COLÔMBIA (*) - Em 15 de fevereiro, alguns dias após um culto evangelístico em Tiwy, as Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia – Exército do Povo, deram 24 horas para Mary Elizabeth Ortega Calderon, pastora da igreja Quadrangular, deixar a comunidade. Ela foi forçada a se mudar com sua filha e três netos. Pelos últimos três anos, as guerrilhas proibíram eventos religiosos ao ar livre e cultos em igrejas.

Presentes no evento estavam convertidos e convidados, entre os quais, guerrilheiros infiltrados. Os espiões falaram sobre a reunião para o líder da FARC-EP local.

Maria Elizabeth tem uma visão de levar as Boas Novas entre os habitantes de Tiwy, e realizou esse evento mesmo entre os membros da milicia (guerrilhas que trabalham em áreas urbanas, mas se vestem como civis). Ela é pastora da igreja há dois anos, e apesar de ter recebido avisos para não evangelizar, essas ameaças nunca chegaram ao ponto de forçá-la a sair da comunidade.

As guerrilhas disseram que não iriam matá-la devido aos problemas com os responsáveis por direitos humanos da área. A FARC-EP espera fortalecer sua imagen ante a comunidade internacional como grupo revolucionário, e não criminoso.

Mary tem muitos deveres pastorais, mas não recebe salário por seu trabalho porque, de acordo com os estatutos internos da denominação, alguém com o título de “voluntário” não é remunerado.

A Portas Abertas Internacional providenciou para Mary três meses de alimentação e ajuda financeira, para o aluguel e para que sua familia se estabeleça em um local seguro.


Tradução: Deborah Stafussi

* Este país não se enquadra entre os 50 mais intolerantes ao cristianismo.
Fonte:

12.3.09

Não Quero Mais Ser Evangélico!

ari1.jpg

“Irmãos, uni-vos! Pastores evangélicos criam sindicato e cobram direitos trabalhistas das Igrejas”. Esse, o título da matéria, chocante, publicada pela revista Veja de 9 de junho de 1999 anunciando formação do “Sindicato dos Pastores Evangélicos no Brasil”.

Foi a gota d’água! Ao ler a matéria acima finalmente me dei conta de que o termo “evangélico” perdeu, por completo, seu conteúdo original. Ser evangélico, pelo menos no Brasil, não significa mais ser praticante e pregador do Evangelho (Boas Novas) de Jesus Cristo, mas, a condição de membro de um segmento do Cristianismo, com cada vez menor relacionamento histórico com a Reforma Protestante - o segmento mais complicado, controverso, dividido e contraditório do Cristianismo. O significado de ser pastor evangélico, então, é melhor nem falar, para não incorrer no risco de ser grosseiro.

Não quero mais ser evangélico! Quero voltar para Jesus Cristo, para a boa notícia que Ele é e ensinou. Voltemos a ser adoradores do Pai porque, segundo Jesus, são estes os que o Pai procura e, não, por mão de obra especializada ou por “profissionais da fé”. Voltemos à consciência de que o Caminho, a Verdade e a Vida é uma Pessoa e não um corpo de doutrinas e/ou tradições, nascidas da tentativa de dissecarmos Deus; de que, estar no caminho, conhecer a verdade e desfrutar a vida é relacionar-se intensamente com essa Pessoa: Jesus de Nazaré, o Cristo, o Filho do Deus vivo. Quero os dogmas que nascem desse encontro: uma leitura bíblica que nos faça ver Jesus Cristo e não uma leitura bibliólatra. Não quero a espiritualidade que se sustenta em prodígios, no mínimo discutíveis, e sim, a que se manifesta no caráter.

Chega dessa “diabose”! Voltemos à graça, à centralidade da cruz, onde tudo foi consumado. Voltemos à consciência de que fomos achados por Ele, que começou em cada filho Seu algo que vai completar: voltemos às orações e jejuns, não como fruto de obrigação ou moeda de troca, mas, como namoro apaixonado com o Ser amado da alma resgatada.

Voltemos ao amor, à convicção de que ser cristão é amar a Deus acima de todas as coisas e ao próximo como a nós mesmos: voltemos aos irmãos, não como membros de um sindicato, de um clube, ou de uma sociedade anônima, mas, como membros do corpo de Cristo. Quero relacionar-me com eles como as crianças relacionam-se com os que as alimentam - em profundo amor e senso de dependência: quero voltar a ser guardião de meu irmão e não seu juiz. Voltemos ao amor que agasalha no frio, assiste na dor, dessedenta na sede, alimenta na fome, que reparte, que não usa o pronome “meu”, mas, o pronome “nosso”.

Para que os títulos: “pastor”, “reverendo”, “bispo”, “apóstolo”, o que eles significam, se todos são sacerdotes? Quero voltar a ser leigo! Para que o clericalismo? Voltemos, ao sermos servos uns dos outros aos dons do corpo que correm soltos e dão o tom litúrgico da reunião dos santos; ao, “onde dois ou três estiverem reunidos em meu nome, eu lá estarei” de Mateus 18.20. Que o culto seja do povo e não dos dirigentes - chega de show! Voltemos aos presbíteros e diáconos, não como títulos, mas, como função: os que, sob unção da igreja local, cuidam da ministração da Palavra, da vida de oração da comunidade e para que ninguém tenha necessidade, seja material, espiritual ou social. Chega de ministérios megalômanos onde o povo de Deus é mão de obra ou massa de manobra!

Para que os templos, o institucionalismo, o denominacionalismo? Voltemos às catacumbas, à igreja local. Por que o pulpitocentrismo? Voltemos ao “instruí-vos uns aos outros” (Cl 3. 16).

Por que a pressão pelo crescimento? Jesus Cristo não nos ordenou a sermos uma Igreja que cresce, mas, uma Igreja que aparece: “Assim resplandeça a vossa luz diante dos homens, para que vejam as vossas boas obras, e glorifiquem a vosso Pai, que está nos céus. “(Mt 5.16). Vamos anunciar com nossa vida, serviço e palavras “todo o Evangelho ao homem… a todos os homens”. Deixemos o crescimento para o Espírito Santo que “acrescenta dia a dia os que haverão de ser salvos”, sem adulterar a mensagem.

Fonte: SLOMOM1.COM

11.3.09

Dalai Lama acusa China de levar tibetanos a 'inferno na Terra'


Dalai Lama (arquivo)

Dalai Lama afirma que os tibetanos querem autonomia

O líder espiritual tibetano Dalai Lama atacou o governo chinês no Tibete nesta terça-feira ao afirmar que seu povo viveu "o inferno na Terra".

No aniversário de 50 anos da revolta contra o governo chinês no Tibete, que fracassou e o levou ao exílio, o Dalai Lama afirmou que as políticas da China causaram a morte de centenas de milhares de tibetanos e a demolição de milhares de locais religiosos.

"Ao ocupar o Tibete, o governo comunista da China realizou uma série de campanhas repressivas e violentas que incluíram uma 'reforma democrática', luta de classes, comunas, a Revolução Cultural, a imposição de lei marcial e, mais recentemente, a reeducação e campanhas severas."

"Isso lançou os tibetanos em um sofrimento e em dificuldades tão profundas que eles literalmente viveram o inferno na Terra", acrescentou. "O resultado imediato destas campanhas foi a morte de centenas de milhares de tibetanos."

"A linhagem de Buda Dharma foi cortada. Milhares de centros religiosos e culturais como monastérios, conventos e templos foram destruídos. Prédios históricos e monumentos foram demolidos. Recursos naturais foram explorados de forma indiscriminada", afirmou o líder espiritual.

Apesar das críticas, o Dalai Lama afirmou que ainda espera um acordo com as autoridades chinesas.

"Precisamos olhar para o futuro e trabalhar pelo nosso benefício mútuo", acrescentou. "Nós, tibetanos, queremos uma autonomia legítima e significativa, uma conciliação que permitirá que os tibetanos vivam dentro da estrutura da República do Popular da China."

leia mais>>

10.3.09

Juventude batista investe na obra missionária

O envolvimento de jovens e adolescentes com a obra missionária tem chamado a atenção e renovado a esperança de que cada cristão assuma sua responsabilidade na conquista da Pátria para Cristo. Esse engajamento sinaliza o despertar de uma nova geração, que se preocupa com o próximo em sua totalidade e não mede esforços para caminhar lado a lado com o sedento, a fim de que no fim dessa caminhada, ele seja saciado com a Água da Vida.

Essa nova geração de semeadores anualmente troca um valioso período de descanso escolar pela satisfação de ser útil para Deus. Espiritualmente preparados e tecnicamente capacitados, embrenham-se pelas ruas, debaixo de sol ou chuva, dando uma resposta radical à violência, prostituição e tantas outras mazelas que nossa sociedade carrega. Para jovens "normais" não haveria maneira mais inadequada de se aproveitar as férias, mas, acredite, para uma parcela considerável da juventude batista, não há nada melhor do que realizar a vontade de Deus.


Jovens em ação na Trans
leia mais>>

Fernandinho - Yeshua

interessante | Internet pela tomada de eletricidade deve chegar ao Brasil

por Diego Martins

5089 9424 566c 18bb 85db db44 3ddf 91d0 f4d6 ddf7 9652 59a1 264a 2267 623e 405f b9b1 cbbd 3655 9d23 12a1 366b 6b1c tomada thumb | Internet pela tomada de eletricidade deve chegar ao Brasil

Estamos cada vez mais próximos de utilizarmos a internet conectando-nos através de uma tomada de energia elétrica. Se você pensa que isso só acontecerá daquii muitos anos, está enganado.

A Anatel, agência reguladora das telecomunicações, e a Aneel, agência que cuida das questões de enegia elétrica, estão preparando tudo, para que possa ser lançado no Brasil a internet via fios de eletricidade, tecnologia chamado de Power Line Communication (PLC).

As redes do Brasil estão tecnicamente prontas para receber o serviço, seria apenas necessário fazer alguns ajustes. Como instalar roteadores nos postes e um modem teria que ser instalado na casa do cliente.

“Estamos querendo baixar o custo dos serviços, e isso acontece ampliando a oferta. Hoje temos banda larga por cabo, por satélite, por frequência, e por que não pela rede elétrica?”, questionou Emília Ribeiro, responsável pelo assunto dentro da Anatel.

Essa tecnologia permite um acesso a internet na velocidade de 20 megabits por segundo (Mbps), duas vezes mais do que é oferecido hoje, pela maioria dos provedores de banda larga. Com equipamentos mais moderno é possivel alcançar a velocidade de 200 Mbps.

A nova forma de navegar na internet conta com o apoio do governo, pois muitos brasileiros que não tem acesso a rede mundial, ganharão essa oportunidade. Por que apenas 3% da população não possui energia eletrica, mas esse índice deve chegar a 0% no final de 2010.

Outra vantagem do serviço é que haverá um queda drástica nos preços das mensalidade pagas para ter internet em casa, por que atualmente o mercado é dominado por operadoras de telefonia fixa.

Mesmo com tudo em mãos, teremos que esperar até que as empresas distribuidoras de energia elétrica se regularizem e começem a fazer as instalações necessárias.

9.3.09

Mulheres da igreja perseguida

"Reveste-se de força e dignidade; sorri diante do futuro. Fala com sabedoria e ensina com amor."
Provérbios 31.26, 27

Quando paramos para meditar nas histórias de mulheres da Bíblia, encontramos exemplos que podem ser aplicados em nossa vida diária, e assim, somos inspirados a tomar atitudes e decisões que sigam a vontade de Deus. Isso também acontece ao olharmos para nossas irmãs da Igreja Perseguida.

São mulheres que enfrentam a dor da perda como Rute e Noemi, que passam por situações muito difíceis como Maria, que necessitam ser líderes de seu povo, como Débora. São muitas irmãs que enfrentam tudo por amor a Cristo.

Oramos para que Deus abençoe a todas as irmãs, não importa em qual país estejam, dando-lhes força para enfrentar de simples batalhas de cada dia à perseguição, resolver cada problema com sabedoria e dignidade, amar a Deus e a seu próximo, sabendo que a recompensa vem de crer no futuro, ou seja, na vida eterna com Cristo.

Neste mês de março, o mês da mulher, queremos desafiar você a dar passos de fé em sua caminhada com Cristo, sendo inspirado pelos testemunhos de nossas irmãs que dependem de Deus, e amam a Ele, acima de tudo.

8.3.09

Mulher: Rica em todo seu contexto

Falar sobre a mulher é sempre um tema muito rico, porque ela é rica em todo o seu contexto. Hoje, mais do que nunca, ela tem um papel ativo tanto no lar quanto na sociedade, enquanto profissional. A cada dia, a mulher alcança degraus nunca antes imaginados. Há cinqüenta anos ninguém imaginaria uma mulher como deputada, juíza ou primeira-ministra. Encontramos mulheres nos volantes de ônibus e de táxi; como executivas e empresárias bem-sucedidas. A mulher está conquistando o seu espaço!

Apesar de todas essas conquistas, a mulher nunca deixou seu papel de “dona-de-casa”. Essa atribuição que ao longo do tempo vem ganhando uma conotação pejorativa é, entre todas, a mais importante de todas. Isso porque ela abrange a de mãe. Ter um filho e prepará-lo para a vida é a mais sublime de todas as atividades que alguém possa almejar. Não existe um prêmio Nobel para a mãe que melhor educou seu filho, mas Deus tem um galardão para todas essas fantásticas mulheres que dão a vida a sua vida para ver seu filho bem-criado, feliz e realizado.

Por mais que a mulher ascenda na sociedade, por mais que alcance seus objetivos, ela nunca deixará de ser mãe, esposa e dona-de-casa. Ainda que tenha muitos empregos, ela sempre comandará o seu lar. A Palavra de Deus afirma que a mulher sábia edifica a sua casa, mas que a insensata com as próprias mãos a destrói (Provérbios 14:1). Nós mulheres que nos lançamos no mundo profissional, não podemos perder nossa família de vista, porque ela é o dom mais precioso que temo. Um país forte, uma igreja forte, indivíduos fortes dependem de uma família forte. E isso não é apenas um jargão, mas uma realidade que muitos têm esquecido e, por isso, padecido amargamente.

Nesta data em que comemoramos o Dia Internacional da Mulher, quero incentivá-la a prosseguir rumo à conquista dos seus sonhos, mas sem esquecer de sua família. Somos guerreiras incansáveis. Conseguimos fazer diversas coisas ao mesmo tempo sem deixar que uma delas perca em qualidade. Nossa jornada é três turnos, nossa vigilância não descansa. Conseguimos tomar decisões importantes na empresa, cuidar do filho doente, conduzir a empregada e planejar o jantar que o marido vai oferecer à noite para clientes importantes. E ainda temos fôlego para ser mulheres exuberantes! Alguém pode pensar que seja fácil. Então, tente fazer isso, não apenas por um dia, mas por um mês, um ano... Nós fazemos isso a vida toda. Somos incríveis, não é mesmo?

Você mulher, não importa o que faça, é especial! Nunca se sinta diminuída nem permita que a façam sentir assim. Leia o texto de Provérbios 30 e você se verá naquele contexto da mulher virtuosa. E se você, por algum motivo, tem chorado sobre os sonhos que ainda não conseguiu realizar, creia que todos eles são possíveis em Deus. Não olhe para o tamanho das dificuldades, mas para o poder do Deus Todo-Poderoso. Ore, creia e aja! Se eu fosse olhar para as circunstâncias, não estaria onde estou agora. Mirei meus alvos, cri no Deus dos impossíveis e trabalhei consciente de que agir era meu dever, e não de Deus. E Ele fez infinitamente mais do que eu pensei (Efésios 3:20). E muito ainda tenho para conquistar.

Você pode! Acredite que pode e vá em frente. Acredite no Deus que detém todo o poder, e seus projetos serão estabelecidos (Provérbios 16:3) Parabéns pela grande mulher que você é!

Luciana Passos

Fonte: www.lagoinha.com

Mulheres de Valor: Um dia só para elas

"Enganosa é a beleza e vã a formosura, mas a mulher que teme ao SENHOR, essa sim será louvada”. (Pv.31:30)

"Mulher virtuosa quem a achará? O seu valor muito excede ao de rubis”. (Pv.31:10).

Estamos comemorando o dia Internacional da mulher. Um dia memorável. Um dia tremendamente especial. É um dia que principalmente, nós homens precisamos parar e refletir o real valor delas. Provérbios nos diz: “...que as mulheres excede ao valor de finas jóias.” Infelizmente em muitos países principalmente no oriente a mulher não passa de uma mercadoria, um objeto que se junta aos demais utensílios em uma casa e que pode ser trocada ao mero capricho dos homens. Aqui no Ocidente não é diferente, pois o espírito machista ainda predomina com muita força.

Sabemos, entretanto que a mercê da tentativa de desvalorizá-la a sua contribuição na família e na sociedade é de suma importância. Desde o amanhecer até bem tarde da noite lá estão elas na labuta de cada dia. Quando trabalham fora de casa o desafio passa a ser duplo, pois além de cumprir os horários pré-estabelecidos pelas empresas ainda conseguem reunir forças para cuidar da casa e dos maridos que muitas vezes deixam a desejar. São mulheres guerreiras, corajosas, formosas e sobre tudo sábias, com discernimento aguçado mostrando com seu companheirismo o quanto amiga, amante e carinhosa são de seus maridos. As que genuinamente tiveram o seu encontro com Deus mostram a sua força quando na intercessão colocam diariamente sua família diante de Deus. Seus filhos são desafiados a seguir o seu exemplo de determinação, coragem e espírito de luta independentemente das circunstâncias. Estão sempre dispostas a recomeçar tudo se preciso for.

Cada lágrima derramada pela dureza que os desafios lhes impõem as torna mais fortes e destemidas. Jesus Cristo tinha respeito, carinho e amor pelas mulheres que cruzavam o seu caminho. Seu ministério foi tremendamente solidificado com a presença delas, ora lhe dando abrigo e sustento, ora o encorajando, ora estando aos seus pés para ouvi-lo ou até mesmo ungindo-o com seus cabelos. Embora viesse também para servi-las, era sempre servido por elas. A vocês mulheres de valor, fiquem firmes no Senhor. Continuem bonitas, elegantes e carinhosas em família. Deixe que a luz de Cristo ilumine suas vidas. Continue a servi-lo com alegria e sabedoria. Que a cada dia o Senhor lhes dêem forças para continuarem sendo mais do que vencedoras. Deus as abençoe tremendamente neste dia...

Pr.Nélson R. Gouvêa
Um parceiro Melodia

Fonte: www.melodia.com.br