22.1.09

A origem das igrejas batistas

Dá-se o nome de “Reforma Protestante” ao grande movimento religioso que no século XVI cindiu a igreja cristã em duas partes: a igreja evangélica e a igreja católica romana. Até aquela data havia uma só igreja, mas esta, cheia de erros e de inovações, tinha se desviado bastante dos ensinos bíblicos. Várias heresias e ensinamentos anti-bíblicos infestavam a igreja: o dogma do papado, a idolatria a imagens, a idolatria a Maria, a salvação pelas obras, as penitências e muitos outros erros que a levaram a esconder a Bíblia do povo.Houve, no entanto, vários homens que não se conformavam com esse estado de coisas. Eram os que desejavam abolir as práticas e costumes que depunham contra o caráter santo que tem a igreja. Esses homens foram perseguidos e muitos foram mortos. Homens como Wyclif, John Huss e Savonarola.A Reforma veio a partir da atuação de um monge alemão, professor de teologia, chamado Martinho Lutero. Ele se rebelou contra a venda de indulgências (venda de remissão de pecados pelo papa). Lutero escreveu 95 proposições contra as indulgências e afixou-as à porta da sua catedral (31 de outubro de 1517). Iniciou-se, então o movimento dos reformadores. Lutero e outros homens queriam uma reforma dentro da igreja. Essa, porém, não se fez. Dividiu-se então a igreja cristã.Há várias explicações sobre o surgimento das igrejas batistas. A mais comum afirma que os batistas são sucessores dos reformadores ingleses, especialmente os que se organizavam de acordo como sistema congregacional.A primeira igreja batista surgiu em Amsterdã dentre os separatistas e se centrou ao redor de John Smyth, um graduado da Universidade de Cambrigde na Inglaterra[i].O trabalho batista no Brasil, depois de uma tentativa em 1871 (Santa Bárbara, SP), que não durou, teve início, em caráter permanente, em Salvador, onde se organizou em 1882, como resultado do trabalho dos missionários Wiiliam Buck Bagley, Zachary Clay Taylor e do ex-padre católico, Antônio Teixeira[ii].

Pr.Davi Lago,

Fonte: Getsêmani Internet

Nenhum comentário: