Tendo Jesus Saído do Templo (Mateus 24:1)




Gilvan Silva Santos* (gilvansilva00@hotmail.com)

A época em que vivemos, está caracterizada pelo acelerado cumprimento da Palavra Profética, por isso, é de suma importância estudar e conhecer as profecias bíblicas. Não é por acaso que Pedro diz insistentemente em 2 Pedro 1.19: “Assim temos mais confiança ainda na mensagem anunciada pelos profetas. Vocês fazem bem em prestar atenção nessa mensagem. Pois ela é como uma luz que brilha em lugar escuro, até que o dia amanheça e a luz da estrela da manhã brilhe no coração de vocês.” Especialmente diante do crescente engano religioso, da confusão de vozes que pretendem desvendar o futuro (como Jesus predisse claramente em Mateus 24.24: “Porque aparecerão falsos profetas e falsos messias, que farão milagres e maravilhas para enganar, se possível, até o povo escolhido de Deus”). Virá a gloriosa manhã do arrebatamento para os santificados que vivem em Cristo e cooperam para a Edificação do Edifício de Deus aqui na terra e também virá à noite para àqueles que vivem um cristianismo nominal ou não quiseram alcançar o Mistério da Graças, a Igreja. A noite também virá para Israel, o ponteiro mundial de Deus. Diante disso, mesmo que achemos o passado ou o futuro especuloso e haja tantas opiniões divergentes acerca dos eventos bíblicos é essencial que busquemos as respostas na única Fonte Certa, a Palavra Profética – a Bíblia.
A profecia é a historia escrita antes de acontecer. Deus usou seus profetas para nos mostrar o que acontecerá no futuro, com exatidão e precisão, no tempo e no espaço. Acredito que estamos nos aproximando do comprimento final das predições bíblicas quanto aos “últimos dias”. Os acontecimentos atuais nos permitem afirmar a proximidade do arrebatamento; o mundo está sendo abalado pelo impressionante cumprimento das profecias em nossos dias. Nossa geração é especial. Em contraste com gerações passadas, experimentamos uma verdade, a Palavra de Deus se transforma em ação. Em outras palavras: Deus cumpre Sua Palavra na história da humanidade. O centro da Sua ação é Israel, pois Jesus Cristo nasceu, morreu na cruz, reconciliou o mundo com Deus através de Si mesmo, ressuscitou e subiu ao céu em Israel — e em breve, muito em breve, Ele voltará para Israel, onde Seus pés, conforme a Palavra Profética estará sobre o Monte das Oliveiras (Zacarias 14:4 - Naquele dia, ele ficará de pé no monte das Oliveiras, a leste de Jerusalém. Então um grande vale, que correrá do leste para o oeste, dividirá o monte das Oliveiras em dois. Metade do monte se afastará para o norte, e a outra metade, para o sul). Então começará algo completamente novo na história da humanidade: o reino de paz de mil anos! Por isso, é bom analisarmos os fatos com muita atenção, sem esperar nada de concreto da parte dos homens, dos líderes mundiais, que não sabem responder as perguntas básicas da vida.
Nós, como Igreja de Jesus, somos o templo espiritual de Deus na terra e esse templo está sendo edificado por meio do trabalhar do Espírito de Deus em nossas vidas e, acredito que será concluído entre o afastamento de Israel e o seu retorno à Terra Prometida – isso já começou a ocorrer quando Israel foi estabelecido como nação em 1948. Ou seja, nós que somos membros da Nova Aliança, membros do Corpo de Cristo, estamos entre a destruição e a reconstrução do templo de pedra em Jerusalém. Atualmente, desde que Israel reconquistou a parte oriental de Jerusalém na guerra dos seis dias (1967), o maior sonho do povo judeu é a reconstrução do templo. Há informações de que Israel há muito já dispõe de todo o material necessário, e que a obra será conduzida rapidamente, quando chegar a hora (só o Senhor Deus marca o dia, a hora, o tempo e o lugar). O templo só não foi ainda reedificado porque na área do antigo templo está edificada a Mesquita do Domo da Rocha, que pertence aos mulçumanos. Falar em derrubar esta mesquita hoje em dia, seria o mesmo que declarar outra guerra aos árabes. Contudo, estão sendo feitas escavações por baixo da área da esplanada do templo, os judeus já começam a acreditar que a área exata do antigo templo seria um grande pátio situado ao lado da Mesquita. Em se confirmando, o templo seria reerguido ao lado da Mesquita. Interessante é que esta área fica exatamente em frente ao Portão Dourado de Jerusalém, porta pela qual Jesus entrou sendo aclamado como Rei (Mt 21:9). Os judeus lacraram este portão por entenderem que, quando o Messias vier, Ele entrará por esta porta. A reconstrução do templo neste local (ao lado da Mesquita) além de não provocar maiores atritos, se mostraria justificável perante o mundo, pois, se os mulçumanos têm a sua Mesquita, é justo que os judeus também tenham o seu Templo. Tudo está sendo preparado para o arrebatamento e o período da grande tribulação.
A questão de Jerusalém é outro ponto grandemente explosivo. O acordo de Oslo foi deixado como último passo no caminho da paz e Israel encontra-se sob crescente pressão para finalmente selar um acordo de paz com os palestinos. Todavia, os Estados Unidos, a Europa, países da OTAN (Organização do Tratado do Atlântico Norte) não se comprometerão em garantir a segurança de Israel quando houver o eventual ataque descrito na Palavra Profética (Ap. 12).
Somos o templo espiritual de Deus na terra. O Novo Testamento fala diversas vezes a respeito, por exemplo, em 1 Pedro 2.4-5: “Chegando-vos para ele, a pedra que vive, rejeitada, sim, pelos homens, mas para com Deus eleita e preciosa, também vós mesmos, como pedras que vivem, sois edificados casa espiritual para serdes sacerdócio santo, a fim de oferecerdes sacrifícios espirituais, agradáveis a Deus por intermédio de Jesus Cristo” E, em Efésios 2.19-22 está escrito: “Assim já não sois estrangeiros e peregrinos, mas concidadãos dos santos, e sois da família de Deus; edificados sobre o fundamento dos apóstolos e profetas, sendo ele mesmo, Cristo Jesus, a pedra angular; no qual todo edifício, bem ajustado, cresce para santuário dedicado ao Senhor, no qual também vós juntamente estais sendo edificados para habitação de Deus no Espírito” A Igreja de Jesus inteira é, portanto, o templo de Jesus na terra. Ao mesmo tempo, porém, cada crente é individualmente um templo do Espírito Santo, como está dito em 1 Coríntios 6.19-20: Será que vocês não sabem que o corpo de vocês é o templo do Espírito Santo, que vive em vocês e lhes foi dado por Deus? Vocês não pertencem a vocês mesmos, mas a Deus. pois ele os comprou e pagou o preço. Portanto, usem o seu corpo para a glória dele.
Em 2 Tessalonicenses 2.3-4: “Ninguém de nenhum modo vos engane, porque isto não acontecerá sem que primeiro venha a apostasia, e seja revelado o homem da iniqüidade, o filho da perdição, o qual se opõe e se levanta contra tudo que se chama Deus, ou objeto de culto, aponto de assentar-se no santuário de Deus, ostentando-se como se fosse o próprio Deus” . Os fatos estão se encaixando: a apostasia do templo espiritual e a reconstrução do templo de pedras em Jerusalém, no qual se assentará o anticristo.
Em Lucas 3:1-5 podemos perceber que Deus foi expulso do templo. Uma verdade surpreendente está nessa passagem: no versículo 2, vemos que Anás e Caifás eram o sumo sacerdote e, mesmo tendo “oficialmente” uma religião, um templo, pastores, o Senhor preferiu se revelar a João, filho de Zacarias, no deserto. Porque havia dois sumo-sacerdotes? Por definição, só podia haver um.
Para ser sumo-sacerdote em Israel, não bastava ser da tribo de Levi, era preciso ser da família de Arão. E João era filho de Zacarias, casado com uma descendente de Arão (Lc 1:5). Se não fosse a politicagem e a esperteza dos romanos em querer dominar Israel, João teria sido o legitimo sumo-sacerdote. Quantas “igrejas” hoje agem da mesma forma, perderam a consciência do sagrado e não sabem separar o santo do profano, o sagrado do mundano. Misericórdia, oh Pai!
Enquanto esteve na terra, nosso Senhor pregou muitas vezes a Palavra de Deus ao povo de Israel no templo de pedra em Jerusalém. E quão meticulosamente e com santa decisão Ele purificou esse templo, a casa do Seu Pai, naquela época. Lemos em João 2.14-17: “E encontrou no templo os que vendiam bois, ovelhas e pombas, e também os cambistas assentados; tendo feito um azorrague de cordas, expulsou a todos do templo, bem como as ovelhas e os bois, derramou pelo chão o dinheiro dos cambistas, virou as mesas, disse aos que vendiam as pombas: Tirai daqui estas cousas; não façais da casa de meu Pai casa de negócio. Lembraram-se os seus discípulos de que está escrito: O zelo da tua casa me consumirá”. E então chegou o momento em que Ele afastou-se triste do templo, retirando-se. Será que o Senhor já não se ausentou de muitos templos nos dias de hoje? O afastamento do Senhor resulta no juízo de Deus.
Se observarmos a cristandade dos nossos dias com os olhos de Deus, veremos que atualmente o Senhor está se retirando do templo espiritual. Muitos freqüentadores da igreja não têm noção de que o Senhor já afastou-se deles. Dá-se com eles o mesmo que com Sansão, que “não sabia ainda que já o Senhor se tinha retirado dele” (Jz l6.20b). Por que o Senhor afastou-se de muitos? Porque eles recusaram categoricamente a mais profunda purificação do seu templo espiritual. Por isso, Paulo perguntou indignado aos crentes: “Não sabeis que sois santuário de Deus, e que o Espírito de Deus habita em vós? Se alguém destruir o santuário de Deus, Deus o destruirá; porque o santuário de Deus, que sois vós, é sagrado. Ninguém se engane a si mesmo” (1 Co 3.16-18a). O Senhor Jesus jamais levará alguém ao Seu reino eterno por um caminho que exclua a cruz. Os cristãos nominais vivem um grande conflito e estão correndo sérios riscos, que poderá resultar na eternidade distante de Deus. Talvez você vá regularmente à igreja, cante no coral, participe dos encontros e eventos e até ministre a Palavra e tenha uma vida “religiosa” e secularmente correta, mas, infelizmente, nunca se converteu de verdade – é um cristão nominal. E, se continuar assim, ficará eternamente afastado de Deus. Somente pela cruz de Jesus nós conseguiremos entrar no céu! Quem não se aproxima de Deus através da cruz é, e continuará sendo, inimigo de Deus. Por isso, busque a Jesus, busque a Sua bendita Luz! Ninguém mais poderá ajudá-lo! Somente Jesus!...
Pelo fato do Senhor também se afastar do templo espiritual, da chamada cristandade, em nossos dias muitas igrejas são reduzidas à insignificância, ficando vazias. Basta vermos os relatos de diferentes países e cidades, onde igrejas de várias denominações, antigamente repletas de crentes, estão sendo vendidas a baixos preços, ou outras estão cheias de pessoas e vazias do Espírito Santo. O Senhor afastou-se desses locais de adoração. Mas, quando lemos em Mateus 24:1, nossos corações voltam a ficar alegres, pois está dito: “Tendo Jesus saído do templo, ia-se retirando, quando se aproximaram dele os seus discípulos”. E isso que também acontece em nossos dias: os verdadeiros discípulos de Jesus em todo o mundo agrupam-se tanto mais decididamente em volta da Sua elevada Pessoa, pois sabem que Ele virá em breve, como nos prometeu em João 14.1-3: “Não se turbe o vosso coração; credes em Deus, crede também em mim. Na casa de meu Pai há muitas moradas. Se assim não fora, eu vo-lo teria dito. Pois vou preparar-vos lugar. E quando eu for, e vos preparar lugar, voltarei e vos receberei para mim mesmo, para que onde eu estou estejais vós também.
“Tendo Jesus saído do templo...”
é nessa etapa dos tempos finais que nos encontramos atualmente como Igreja de Jesus. Mas essa afirmativa também contém uma profunda tragédia com relação a Israel. Pois, há quase dois mil anos, ao afastar-se do templo em Jerusalém, o Senhor também afastou-se de Israel, que O tinha rejeitado. Por isso, Ele chorou amargamente: “Quando ia chegando, vendo a cidade, chorou, e dizia: Ah! Se conheceras por ti mesma ainda hoje o que é devido à paz! Mas isto está agora oculto aos teus olhos. Pois sobre ti virão dias em que os teus inimigos te cercarão de trincheiras e, por todos os lados, te apertarão o cerco; e te arrasarão e aos teus filhos dentro de ti; não deixarão em ti pedra sobre pedra porque não reconheceste a oportunidade da tua visitação” (Lc 19.41-44).
“Tendo Jesus saído do templo...” Essa frase tem grave significado. Por isso, recordemos o que aconteceu: Jesus deixou o templo e foi com Seus discípulos para o Monte das Oliveiras. A partir desse momento, Ele não entrou mais no templo. Tudo isso foi o cumprimento de uma visão do profeta Ezequiel no 6º século antes de Cristo. Ezequiel viu como a glória do Senhor deixou a cidade de Jerusalém e o templo, indo para o Monte das Oliveiras: “A glória do Senhor subiu do meio da cidade, e se pôs sobre o monte que está ao oriente da cidade (o Monte das Oliveiras). Depois o Espírito de Deus me levantou, e me levou na sua visão à Caldéia, para os do cativeiro (isto é, aos israelitas em cativeiro); e de mim se foi a visão que eu tivera. Então falei aos do cativeiro todas as cousas que o Senhor me havia mostrado” (Ez 11.23-25). Essa visão de Ezequiel teve seu cumprimento histórico quando Jesus deixou o templo. O Senhor afastou-se do templo, de Jerusalém e, de forma exteriormente despercebida, subiu ao Monte das Oliveiras. Mas, mesmo assim, foi a glória do Senhor que saiu do templo, deixando-o vazio e sem significado.
Fico profundamente emocionado ao ver o cumprimento de toda a profecia bíblica em seu contexto. A Bíblia deve ser conhecida e vivenciada porque é o livro mais precioso que existe na terra. Nenhum de meus livros da Especialização no Ensino de Física ou da Modelagem Matemática chegará perto da grandeza da Bíblia. O seu valor supera o de todo o ouro e de todas as riquezas do mundo. Ela é eterna Palavra de Deus. Ezequiel teve uma experiência profética, que aponta diretamente para os acontecimentos atuais, aproximadamente 2600 anos depois. É como uma profecia paralela, que se cumpre inicialmente em duas partes: “A glória do Senhor subiu do meio da cidade, e se pôs sobre o monte que está ao oriente da cidade:” Esse monte é o Monte das Oliveiras. Isso se cumpriu há quase 2000 anos: “Tendo Jesus saído do templo, ia-se retirando, quando se aproximaram dele os seus discípulos... No Monte das Oliveiras, achava-se Jesus assentado, quando se aproximaram dele os discípulos, em particular, e lhe pediram: Dize-nos quando sucederão estas cousas, e que sinal haverá da tua vinda e da consuma ção do século” (Mt 24.1-3). Naquele tempo, Jesus saiu do templo e foi para o Monte das Oliveiras.
No mundo invisível, na dimensão espiritual, muito além de nossa compreensão humana, esse procedimento profético do Senhor volta a realizar-se, ou seja, está em realização agora, entretanto, não mais com sentido de juízo, mas de graça. O Senhor Jesus deixará em breve Seu templo celestial e irá exatamente para o mesmo monte, dessa vez em grande poder e glória. Então, porém, Ele não se assentará no Monte das Oliveiras (Mt 24.3), pois Zacarias 14.4a diz: “Naquele dia estarão os seus pés sobre o Monte das Oliveiras, que está defronte de Jerusalém para o oriente”.
É inconcebível, sobretudo para o povo judeu, Jerusalém sem o Templo! Os israelitas convivem com um templo pagão, a Mesquita em lugar do Templo do Senhor. Enquanto os mulçumanos têm uma linda e suntuosa Mesquita, os judeus ortodoxos têm apenas o "Muro das Lamentações". Certamente que isto não durará muito tempo.
A preparação para o terceiro templo está clara na leitura de Daniel 8:13, 11:31, 12:11 deixa evidente tratar-se do templo, fisicamente. Também o texto de II Tess 2:4 quando diz: "...o qual se opõe e se levanta contra tudo que se chama Deus, ou objeto de culto, a ponto de assentar-se no santuário de Deus, ostentando-se como se fosse o próprio Deus." O texto de Mt 24:15 combinado com estes outros textos aqui citados, nos conduz ao entendimento de que o "lugar santo" referido em Mt 24:15 é o altar do templo (o qual terá que ser reedificado) Quando os judeus conseguiram recuperar a posse do Monte Moriah (Monte do Templo), em 1967, eles deveriam ter imediatamente reconstruído o Templo de Deus, mas não o fizeram. Em Daniel 9:27, Deus disse que antes da vinda do Messias, o Seu Templo será reconstruído, e será profanado por um príncipe , que é o Anticristo. Existem duas organizações em Israel, que estão agindo para reconstruir o Templo de Deus, em Jerusalém. Uma delas chama-se The Temple Institut, e está reconstruindo todos os utensílios do Templo de Deus. Já reconstruíram a Arca de Deus, o candelabro de sete lâmpadas, o altar do incenso, e estão quase acabando de reconstruir todos os utensílios, e as vestes sacerdotais. Estão reconstruindo o peitoral do juízo, que deve ser usado pelo Sumo Sacerdote. A outra organização chama-se The Temple Mount and Land of Israel Faithful Movement, e está fazendo um movimento de divulgação da causa da reconstrução do Templo de Deus, e está apelando ao Governo de Israel e aos membros da Knésset (Congresso de Israel), para que tomem providências para a reconstrução do Templo.
Em relação ao futuro de Israel, a reconstrução do templo e o anticristo, acreditamos nos seguintes fatos:


  1. Em algum tempo (não muito distante) o antigo Templo do Senhor será reedificado por Israel (literal e fisicamente falando);
  2. Surgirá no cenário do mundo à pessoa do anticristo (que será um judeu), uma espécie de líder político ou governante mundial, ateu em essência, defensor da ciência e da globalização e cheio de poderes paranormais;
  3. Iniciar-se-á o período chamado de Grande Tribulação.
  4. Israel fará uma aliança com o anticristo no início da septuagésima semana de Daniel (Dn 9:9-27);
  5. Até a metade desta semana, o anticristo oferecerá paz e segurança, e aparentará ser um homem bom, porém, sendo a sua natureza má, e sendo ele uma espécie de encarnação de Satanás, na metade desta semana fará cessar a sua aliança com Israel;
  6. Israel sofrerá uma perseguição terrível (Ap 12 e 13);
  7. Em algum momento da metade final da septuagésima semana Israel será atacado pelo rei do norte e seus aliados, mas os derrotará, pois o Guarda se Sião pelejará por eles (Ez 38-39); Salmos 121:4 - O protetor do povo de Israel nunca dorme, nem cochila.
  8. Já no final da Grande Tribulação, o anticristo reunirá as nações do mundo para "dar um basta a questão judaica" e tentar eliminar o povo judeu (como Hitler tentou) - será a Batalha do Armagedom. Nesse momento Israel estará sitiado e parecerá que a sua história terá chegado ao fim!
  9. Então o anjo (Miguel) tocará a sétima trombeta, os céus se abrirão, e o Messias virá VISÍVEL A TODO OLHO para livrar o seu povo! (Zc 14:3-11; Ap 1:7; 16:16-21);
  10. Será estabelecido por Cristo o Seu Reino Milenar, e Israel será a cabeça das nações e Jerusalém a capital religiosa do mundo (Dt 28:13; Is 62:1-7 e Is 2). Será o momento de uma nova aliança com Israel (Jr 31:31-34); Jesus voltará ao templo.
  11. Depois do milênio Deus criará uma nova terra e novos céus, onde Israel e outras nações salvas habitarão eternamente (2 Pe 3:7-14; Ap 21).

    Como vimos o Novo Testamento começa com Deus sendo expulso do templo e termina com Jesus sendo expulso da igreja (Ap 3:20). Se Ele está à porta batendo, é porque estava do lado de fora. Não devemos querer a igreja – devemos querer Jesus Quando Jesus sai desse templo já não tem mais sentido está lá. Tudo se torna vazio.
    Jesus ainda permanece em meu templo interior? O que tenho feito para acolhê-lo de forma que ele não saia? Podemos erguer muitos templos, mas se o verdadeiro templo que é o nosso ser, em toda nossa essência, corpo, alma e espírito, não houver espaço para a presença de Jesus, se não for à morada permanente de Jesus, torna-se vazio, e desmoronará. Temos construído muitos templos e não a nós mesmos, a verdadeira obra de arte onde os espaços deveriam ser “largos” para Jesus e “estreitos” para que não entre outra coisa senão Ele, o dono do templo.
    O nosso templo interior precisa ser sempre cuidado, limpo, reformado, para que não venha a arruinar pelos vendavais da existência ou pelas crises interiores que aprisionam nossa alma. Se os ventos e tempestades do pecado destruir parte de nosso templo, devemos ter a coragem de reconstruí-lo segundo o projeto de Deus, o verdadeiro arquiteto. Se tudo aparentemente acabou para você, saiba que é exatamente nesse ponto que esta o começo da grande saída. O exercício da fé se dá no tempo em que é estabelecida a esperança. Nós temos a marca da promessa. Aleluia...
    Sobre todas as revoluções, guerras e catástrofes naturais, governos, opiniões, conceitos domina o Eterno, cujo conselho, revelado em tempos antigos através dos profetas, realiza-se atualmente diante dos nossos olhos, mesmo que alguns sejam omissos ou não consigam enxergar isso. Não permitamos que Jesus saia de nosso templo espiritual, ainda que estejamos no maior deserto, Ele nunca desistirá de nós.


Em Cristo, Gilvan Silva Santos, vivendo no eterno proposito do Pai - em corpo, alma e espírito (73) 8848-3714; 9995-4551; 9196-1551

Comentários

Pr.Daniel disse…
a paz, irmãos!
tenho sido sobremaneira abençoado com os vossos artigos, como tambem compartilhado dos mesmos aqui na comunidade. achei por demais relevante este agora que alerta os pais na educação às crianças.
Deus seja louvado por este trabalho maravilhoso que vcs têm publicado aos navegantes na internet.
Pr.Daniel- auxiliar pastoral na Igreja Batista de Ururaí- Campos/RJ

Postagens mais visitadas deste blog

A UNIÃO ENTRE OS IRMÃOS

O Conflito entre Israel e os Palestino à Luz da Bíblia

Mateus 6:16-18