2.5.13

O cristão e as “Redes de Dinheiro Fácil”

Tenho andando muito preocupado com o envolvimento de muitos cristãos na busca desenfreada por dinheiro fácil. São muitas as ofertas e algumas são bem tentadoras, do ponto de vista da facilidade de lucro alto e em curto espaço de tempo. São tantas as modalidades e facilidades, a exemplo da TelexFree, do Sistema de Renda Fixa que muitos cristãos tem sido atraídos e envolvidos de maneira extremamente forte a ponto de defender essa ou aquela rede a buscar mais e mais “adeptos” para a rede que ele faz parte.

Já fui convidado diversas vezes para fazer parte da TelexFree e também de outras redes que nos “garantem” sucesso financeiro a curto espaço de tempo . Não estou querendo colocar em dúvida a reputação dessa ou daquela rede, mas nós, como servos de Jesus Cristo, não devemos apenas ganhar dinheiro de qualquer forma. O cristão precisa ser sábio na área financeira entendendo que ele nasceu para o trabalho (Jó 5:7), e que o dinheiro deve ser resultado do suor de seu rosto até a sua passagem para o outro lado da vida, até a sua morte (Gn 3:19), a menos que ele seja impossibilitado de trabalhar. Portanto, qualquer oferta de dinheiro vindo de outra forma - que não seja pelo seu trabalho -, de associação com redes, de jogos de azar, é uma maneira de demonstrar que não há confiança em Deus e na Sua provisão (Mt 6:19).

A necessidade constante de se obter mais e mais dinheiro tem sido uma oportunidade para entronizar um ídolo em nossas vidas. Esse ídolo que o Senhor Jesus o chamou de Mamom (Mt 6:24), representa a totalidade, a soma dos bens terrenos, e é um concorrente direto do senhorio de Cristo em nossas vidas.

O envolvimento com as “redes de dinheiro fácil” refletem o desejo eterno de livrar-se dos efeitos do pecado, é uma tentativa humana com arquitetura no mundo espiritual de ter dinheiro sem ter que trabalhar no suor do rosto (Gn 3:19, Jo 5:7). Não vejo nos irmãos que estão nessas redes, o mesmo empenho em divulgar o Poder de Deus, o Evangelho de Cristo. Por que será?
O dinheiro que recebemos como consequência de nosso trabalho, do nosso esforço humano, foi estabelecido pelo Senhor e esse trabalho, seja lá qual for, contando que seja honesto, nos dignifica. Entretanto, muitos cristãos, pela busca ilimitada por dinheiro, pela falta de firmeza no Padrão de Deus, tem anulado a séria advertência que o Senhor Deus estabeleceu emMateus 6:19: “Não ajuntem riquezas aqui na terra, onde as traças e a ferrugem destroem, e onde os ladrões arrombam e roubam. Mas ajuntai para vós outros tesouros no céu, onde traça nem ferrugem corrói, e onde ladrões não escavam, nem roubam”, fazendo parte dessa ou daquela rede, em busca de grande retorno financeiro.

Somos livres em nossas escolhas e eu, particularmente, respeito cada irmão que está envolvido nessas “redes de dinheiro fácil”. Entretanto, não posso deixar de falar o que o Senhor Deus tem liberado em meu coração ou tolerar o que a Bíblia rejeita. Dinheiro que vem fácil, também vai embora fácil. Você já se preocupou em saber se Deus aprova a origem desse dinheiro? Será que em seu lugar, Jesus faria o mesmo, Ele estaria abraçando as riquezas esse mundo? Ele estaria preocupado em ser alguém na base dessa pirâmide, onde o dinheiro é a prioridade? Será que a prioridade de Jesus ou de seus apóstolos, os quais devemos imitar, era se envolver em “marketing multinível” com ganho de dinheiro rápido e fácil?Tenho certeza que não.

O que muito me preocupa é que nesse busca sem limites por dinheiro, muitos dos que se dizem “cristãos”, até sem perceber, tem trocado Jesus por Mamom, e defendem essa ou aquela rede como fosse prioridade. Eles se esquecem que nossa prioridade é tornar o Evangelho de Cristo conhecido, é fazer discípulos e mostrar que confiamos em Deus e não nas “redes que garantem dinheiro fácil.

Na associação com essas redes, o nosso adversário, Mamom, divindade cultuada até inconscientemente, tem conseguido vitória sobre muitos “irmãos” quando os fazem esquecer que “enriquecimento fácil não é bíblico”, conforme registrado em Provérbios 13:11; 23:5 e Eclesiastes 5:10). Associar-se a essas redes é o mesmo que não confiar em Deus.

Será que você associado dessas redes, que já conseguiu “muitos dólares” está disposto a usar seus bens em conformidade com a Palavra de Deus. A Bíblia nos ordena a usar nossos bens em prol dos necessitados(Lc 18:18-22; I Jo 3:17-18).

O dinheiro que ganhamos pode ser bênção ou maldição, dependendo do uso que dele fazemos e de sua origem. Aliás, o dinheiro até demostra um parte de nosso caráter. Não há nada errado em possuir riquezas, o problema é quando as riquezas nos possuem.

Aqueles que acreditam cegamente que essas “redes de dinheiro fácil” trarão enorme soma de dinheiro e se envolvem com elas, demonstram que suas vidas não estão sendo vivenciadas do ponto de vista do que está registado nas Escrituras Sagradas (Cl 3.1). Os envolvidos com essas redes, mais cedo ou mais tarde, em última análise, se tornarão egoístas e cobiçosos, que nunca se fartarão de dinheiro, uma vez que não centralizam Deus como o seu alvo, sua prioridade, sua realização.

Há uma artimanha diabólica, por detrás do “culto a Mamom” que muitos que se envolveram nessa busca desenfreada por dinheiro fácil desconhecem. Somos orientados a conhecer as estratégias do diabo a “fim de que Satanás não se aproveite de nós; pois conhecemos bem os planos dele” (II Cor 2:11). O nome de Jesus é envergonhado, quando um de seus servos faz do objetivo da vida a obtenção de dinheiro fácil e o enriquecimento (I Tm 6.9; Pv 23.4).

Quero finalizar esse meu pequeno comentário dizendo que devemos ser conhecidos por aquilo que somos e não por aquilo que temos ou possuímos e também não devemos esquecer que existem coisas que o dinheiro não pode comprar, como o Juiz dos Vivos e dos Mortos (At 10:42) e uma vida de comunhão e intimidade com Deus, que expressam uma espiritualidade genuína e verdadeira (At 8.18-20; Ap 2.9)

Portanto meus irmãos, abramos bem os nossos olhos.
Por Gilvan Silva Santos

2 comentários:

Anônimo disse...

Infelizmente essa é uma situação que tem se tornado comum em nosso meio,fico triste em ver irmãos deslumbrados com a riqueza material! Façamos o nosso dever: orar por todos!

jorge disse...

Muito bom parabéns, infelizmente na igreja agora só da isso de dinheiro fácil com redes