Evangelho sem sufocar a cultura do outro

Antigamente o índio tinha vida. Agora tem um dia
Nossa evangelização ensinou o índio a ter parabólica, calção da Adidas e chinelo Havaianas. Não ensinamos a misericórdia, o perdão, o dar de si mesmo. Em dois mil anos de cristianismo ainda não aprendemos a repartir o Evangelho sem sufocar a cultura do outro. Somos ótimos catequizadores, mas péssimos evangelistas.

Essa nossa persistência em moldar a cultura segundo nosso conforto é o que gera tantos conflitos. O mundo modifica a si mesmo em ciclos de tempo cada vez menores. A Igreja ainda idolatra a liturgia e as formas. Nossa maneira de cultuar a Deus é o ídolo que ocupa no nosso coração o lugar do próprio Deus. Apelos desesperados à importância da “tradição” não enfatizam que algumas coisas precisam ser esquecidas.

Choro pelas crianças que serão adultas num futuro próximo. O Evangelho que transforma o homem, independente de sua cultura, está cada vez mais distante. E infelizmente não há luz no fim do túnel.

Se zelamos pelo Evangelho, não fazemos mais do que nossa obrigação. Se zelamos pela tradição, somos prudentes. Se negamos a cultura, somos a manifestação visível do anticristo. Pois aquele que nega que Cristo veio em carne (isto é, viveu como homem), está negando o caminho da obra redentora de Jesus Cristo.

Falta nos dias de hoje o cristão humano. Aquele que sente a dor do outro e que se move na direção do que sofre.
Fonte: Gospel+
Avatar de Ariovaldo Jr

Por             Pastor, teólogo do mundo real, palestrante desmotivacional, tradutor freestyle das Escrituras, admirador do Ensino Reformado e portador de TDAH com a bênção de Deus! Conheça maissobre o autor no blog "www.ariovaldo.com.br". 

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

A UNIÃO ENTRE OS IRMÃOS

O Conflito entre Israel e os Palestino à Luz da Bíblia

Mateus 6:16-18