Pastor diz que anjos receberam Niemeyer no céu com hino comunista.

Poema bizarro de Noronha
 causou constrangimento
O pastor luterano Mozart Noronha (foto) protagonizou ontem (7) no velório de Oscar Niemeyer, no Rio, um episódio bizarro. Durante um culto ecumênico em homenagem ao arquiteto ateu e comunista, ele leu um poema que afirma que Deus ficou “mui feliz” com a morte do “velho guerreiro” e ordenou a organização de um coral para recebê-lo.

E então, diz o poema, músicos e anjos se reuniram e, entoando “uns mil louvores”, receberam o arquiteto com a Internacional Comunista. 

Niemeyer, com roupa azul, chegou ao céu com uma bandeira vermelha e uma foice e um martelo e quis saber de outro comunista e ateu, Luis Carlos Prestes (1898-1990). 

No relato de Juliana Prado, do portal Terra, o poema causou constrangimento no velório. 

Mozart foi um dos quatro sacerdotes que celebraram o culto — além dele, dois padres e um rabino. O próprio pastor disse que talvez fosse a primeira vez em que tantos religiosos rezaram juntos pela alma de um ateu. 

Leia a íntegra do poema.

Fonte: Paulopes

 

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

A UNIÃO ENTRE OS IRMÃOS

O Conflito entre Israel e os Palestino à Luz da Bíblia

Mateus 6:16-18