24.9.12

No meu mandato: o que eu gostaria de ouvir de um candidato cristão

Bom dia/tarde/noite cidadãos desta cidade.
Gostaria de falar um pouco sobre minhas propostas de governo, caso eu seja considerado digno de seu voto nas próximas eleições.

Primeiramente, gostaria de pedir que não votassem em mim devido a minha confissão de fé. Não creio que nossa cidade precise de políticos evangélicos, mas sim de cidadãos conscientes de que governar é defender o direito de todos os independente de religião. Não pretendo facilitar alvarás e nem mesmo favorecer verbas para a “Marcha pra Jesus”. Essa palhaçada toda nada tem a ver com o real interesse de Deus com relação ao nosso município. Também não penso que combater a “Parada Gay” seja o objetivo de um cristão; e muito menos de um político. Não temos nós espaço para declararmos o que pensamos? Que haja igualdade então. Afinal, não tenho a menor pretensão de ser conhecido por “político evangélico”, apesar de minha fé.

Quero me empenhar para trabalhar em favor de uma política de estado. Sim, aquela que permanecerá mesmo caso eu não seja reeleito no futuro. A justiça social, o desenvolvimento, a educação, saúde e segurança pública não devem depender de quem está no poder. Por isso acredito que a única maneira de moralizar nossa cidade seja votando em pessoas por sua competência e ética. Quem coloca ideologia acima dos interesses coletivos, obviamente nem sabe o que vem a ser essa tal ética. Muito menos pode ser chamado de cristão. Por isso cuidado. Tem muito lobo em pele de cordeiro fazendo campanha nas igrejas!

Prometo me empenhar na luta por verbas às instituições que fazem trabalho social em nossa cidade. Mesmo que elas sejam católicas, espíritas ou de qualquer outro credo. Também prometo ser rigoroso com quem utilizar verbas públicas para promover seus interesses religiosos. Se isto acontecer, lutarei impiedosamente contra tais instituições. Principalmente se forem evangélicas, afinal nós temos a obrigação de ser exemplo. Ainda que seja necessário levar um tiro, ter toda a minha família ameaçada de morte ou mesmo sofrer pressões que ainda desconheço, meu compromisso é em denunciar toda sorte de corrupção. Não vou votar contra aquilo que considero justo, mesmo que meu partido me pressione a isto. Também não irei aceitar propina, só por que todo mundo concorda com esta prática e eu seja “voto vencido”.

Não darei cesta básica a ninguém. Não darei dentadura. Não limparei terreno. Não suspenderei multas.

Se o que você espera nessas eleições é mais do mesmo, então vote no seu pastor, que promete lutar pelos seus interesses escusos. Eu sou crente demais pra merecer o seu voto.
Pr. Inexistente.

                      Por Ariovaldo Jr
Pastor de uma igreja chamada Manifesto, analista de sistemas, palestrante desmotivacional, autor de três livros inacabados, marido às vezes preguiçoso, pai ainda inexperiente, cristão buscando melhorar sua conduta e brasileiro que não desiste nunca! Conheça mais sobre o autor no blog "www.ariovaldo.com.br".

Nenhum comentário: