7.4.12

Pastor evangélico ataca o PT e protege Kassab e Serra


Artigo de autoria do pastor Josué Lima, publicado em Genizah no último dia 13 de março, mostrou que figuras e instituições de grupos gays paulistanos estariam tentando intimidar os capelães, instrumentalizando órgãos da edilidade para dar vazão à sua intolerância.

É óbvio que a causa é nobre, e deve ser abraçada por todos nós, já que o trabalho dos capelães é o amor cristão em marcha, praticado da forma mais pura e bíblica possível. No entanto, uma leitura cuidadosa do texto citado mostra que ele não se destina a combater esse bom combate. Antes, é visivelmente eleitoreiro, e tenta influenciar não a Igreja, mas o eleitorado paulistano "a la Piragine".

O próprio articulista admite que a Coordenação de Políticas para a Diversidade Sexual e a Secretaria de Justiça e Defesa da Cidadania da Cidade de São Paulo apoiam a postura dos gays contra os capelães. Ora, a prefeitura de São Paulo é ocupada por Gilberto Kassab (PSD), que já declarou apoio a José Serra (PSDB) no próximo pleito municipal. Kassab sequer é citado no texto, muito menos seu partido. Já o PT...

A legenda petista fuzila o próprio pé ao associar seu nome ao das causas homossexuais. Nem tanto por defender minorias, mas muito mais por aprovar tacitamente a agressividade do movimento gay contra nós. Contudo, o partido e a personalidade mais empenhados em nos perseguir são o PSOL e o deputado Jean Wyllys (PSOL/RJ), que por sinal são adversários ferrenhos do PT. Wyllys, vez por outra, recebe o mesmo tratamento dispensado ao partido da estrela vermelha. O PSOL, que está à esquerda do PT e também mereceria ser atacado com a mesma virulência, sequer é citado.

O vínculo com uma igreja estabelecida no município de São Paulo denuncia a intenção do escritor em influenciar o voto do eleitorado local, mais especificamente contra uma candidatura – a do PT. O candidato-alvo de Josué Lima, no caso, é Fernando Haddad, ex-ministro da Educação, que tem sido atacado pelos tucanos e pela imprensa amiga destes justamente (e apenas) em questões morais.


Concluindo, tenho que admitir, com tristeza, que nós, Igreja do Senhor temos sido meninos no entendimento, nos deixando levar por politicagens as mais diversas "em nome de Deus". Vamos continuar defendendo os santos valores Divinos da vida e da família, o ideal de Deus para o homem, mas sabendo discernir os interesses políticos escusos por trás do estardalhaço moralista, que se preocupa mais em criar cortinas de fumaça para certos pecados do que em defender a Verdade na sua plenitude. Artigo de Thiago Lima Barros articulista do 
Genizah
Leia o artigo Sobre Capelães e Adjacências em Genizah
Leia O movimento gay quer acabar com Capelanias Evangélicas em hospitais.


Nenhum comentário: