8.11.12

“Não Toque na Morte”

A morte tem acompanhado nossa trajetória desde o dia que o homem disse “não” ao Seu Criador e talvez esse tema assuste a muitos. É natural termos medo da morte até mesmo quando conhecemos o “Autor da Vida”. Não fomos projetados para morrer, a morte é a conseqüência natural do pecado, conforme está registrado em Romanos 6:23 “porque o salário do pecado é a morte, mas o dom gratuito de Deus é a vida eterna em Cristo Jesus, nosso Senhor”. Com o tema desse nosso estudo, quero abordar que não devemos tocar na “morte espiritual”. Como será que pode haver a contaminação pela morte? Essa morte é cruel, imunda e contamina a muitos. Não posso negar que muitos na igreja de Cristo estão doentes, e também não estou interessando em achar ou apontar culpados. A nossa murmuração, nossas palavras críticas, fofocas e insatisfação transmitem “doença e morte” aos que nos ouvem.

Quanto mais tivermos comunhão com o Senhor, por meio da leitura de Sua Santa Palavra e da oração, mais renunciaremos aquilo que não é de Deus em nosso viver diário. Poderemos assim tomar a nossa cruz e seguir a Jesus – sem negá-Lo com nossas atitudes ou com “toques na morte”

No Velho Testamento, o Senhor listou cinco categorias de animais imundos e nos mostrou que qualquer pessoa que tocasse nesses cadáveres ficaria imunda até ao final do dia, até a tarde (Lv 11). Nesse contexto, para sermos limpos da contaminação da morte, levaria certo tempo, “até à tarde”. Qual a aplicação para nós nos dias de hoje? Não devemos ter nenhum contato com a morte, pois dentro de nós habita a Vida. E se houver tal contato, precisamos nos voltar ao Senhor e permitir o trabalhar o “rio de Vida”, Jesus.
Podemos ser contaminados pela morte espiritual, quando falamos mal de nossos líderes espirituais, quando defendemos “coisas” e pessoas em detrimento do Reino de Deus. A morte espiritual também nos atinge quando não somos obedientes à Palavra de Deus e mantemos contato com “àqueles que estão mortos em seus delitos e pecados” (Ef. 2:1 à 6). O Senhor Deus é tão específico ao nos dizer “aquele que tocar em algum morto, cadáver de algum homem, imundo será sete dias. Ao terceiro dia e ao sétimo dia, se purificará com esta água e será limpo; mas, se ao terceiro dia e ao sétimo não se purificar, não será limpo. Todo aquele que tocar em algum morto, cadáver de algum homem, e não se purificar, contamina o tabernáculo do SENHOR; essa pessoa será eliminada de Israel; porque a água purificadora não foi aspergida sobre ele, imundo será; está nele ainda a sua imundícia. (Nm 19:11-13).
Quando Arão perdeu seus dois filhos, filhos que foram rebeldes ao Senhor, Moisés designou outras pessoas para levarem os cadáveres “carbonizados” para fora do arraial (Lv 10:4). A desobediência aos mandamentos de Deus gera morte no meio do arraial. O lugar que era para gerar vida passa a ser contaminado pela morte quando há desobedientes. Não é diferente na Igreja de hoje. Arão e seus dois outros filhos não “podiam tocar na morte”. Assim como Arão, nós hoje, somos sacerdotes ungidos por Deus (I Pe 2:0, Ap 1:6) e também não podemos “tocar na morte”.
Um bom “termômetro” para saber se você está gerando morte é “gostar de ouvir e falar palavras negativas e impuras dos outros”. Isso é tocar na morte espiritual. Temos que ter cuidado para não nos contaminarmos com as pessoas “imundas” em nosso contato diário e também não contaminarmos os outros com nossa fala. O Espírito Santo, na pessoa do apóstolo Paulo nos orienta em Colossenses 4:6: “A vossa palavra seja sempre agradável, temperada com sal, para saberdes como deveis responder a cada um”.

Em 2 Reis 4:40, lemos: “Depois, deram de comer aos homens. Enquanto comiam do cozinhado, exclamaram: Morte na panela, ó homem de Deus! E não puderam comer”.
Para não tocarmos na morte espiritual devemos tirar a “morte da panela” e quero apresentar alguns conselhos para não colocarmos a morte em nossa “panela” ou a tirarmos de lá, caso ela já esteja:

a) Vencer o orgulho, negando a nós mesmos e conformando a nossa mente, vontade e emoção ao padrão de Deus;

b) Estar atento ao que o Senhor deseja falar conosco;

c) Vencer o desânimo, vencer o mundo e o “seu sistema”;

d) Vencer o “mornidão espiritual”

e) Deixar a arrogância e reconhecer que não somos nada.


Essa panela representa a nossa igreja, nosso ministério, nossa família, nossa atividade secular e, em última análise, a totalidade do nosso ser. Senhor Jesus Cristo é o Único capaz de tirar a morte da panela e quem nEle crê do seu interior fluirão rios de água viva. Isso irá gerar vida por onde quer que passemos. Todos os dias precisamos ser transformados pelo Senhor para isso há a necessidade de nossa cooperação, conforme orienta o apóstolo Pedro “por isso mesmo, vós, reunindo toda a vossa diligência, associai com a vossa fé a virtude; com a virtude, o conhecimento; com o conhecimento, o domínio próprio; com o domínio próprio, a perseverança; com a perseverança, a piedade; com a piedade, a fraternidade; com a fraternidade, o amor“ (II Pd 1:5-6)
O texto de II Reis 4: 38-41 é muito profundo e traz algumas grandes verdades do Senhor para não “tocarmos na morte”. Abaixo comentarei rapidamente esses quatro versículos.

Eliseu representa o perfil do servo fiel, cheio da Unção e que “tocava em Deus”. Ele tinha percepção espiritual e pôde perceber que a fome física que havia em Gilgal era reflexo da fome espiritual de Deus. Precisamos ter fome de Deus e “comermos” do Pão da Vida. Quando o Maná do Céu saciar a nossa fome, teremos condições de saciar a fome dos outros e de tirar a morte de nossas panelas (Jo 6:35). Quantos em nossas igrejas não estão sendo devidamente alimentados? Alguns líderes até não admitem que haja fome em seus ministérios e abastecem o povo de tudo, menos de Deus.

Versículo 38: “Voltou Eliseu para Gilgal. Havia fome naquela terra, e, estando os discípulos dos profetas assentados diante dele, disse ao seu moço: Põe a panela grande ao lume e faze um cozinhado para os discípulos dos profetas”.

O pedido do profeta Eliseu foi para colocar uma panela grande no fogo. Ele não pediu a qualquer pessoa, mas o pedido foi feito ao servo Geazi. Ele também não pediu qualquer panela, mas foi dito que a panela deveria ser grande. A panela deveria ser colocada no fogo mesmo estando fazia – isso era esperar a “provisão de Deus” e obedecer à Sua Ordem clara na boca do profeta. Precisamos ser obedientes aos nossos pastores, profetas de Deus para saciar nossa fome. Coloque sua panela no fogo, ainda que ela esteja vazia. Confie em Deus ainda que tudo ao seu redor conspire contra.

Eliseu desejava que seu servo Geazi tivesse experiência com Deus: “Põe a panela grande ao lume”. O profeta diz como deveria ser a panela – grande. Ele desperta a fé de Geazi, mostrando que os Recursos de Deus são ilimitados. Para experimentarmos a Ilimitada Provisão de Deus precisamos também estar como nossa vida a serviço dos outros: “e faze um cozinhado para os discípulos dos profetas”. Você também precisa servir e alimentar os “filhos dos profetas”. Jesus aprofundou essa verdade quando afirmou Mateus 24:45 “Quem é, pois, o servo fiel e prudente, a quem o senhor confiou os seus conservos para dar-lhes o sustento a seu tempo? 
Versículo 39: “Então, saiu um ao campo a apanhar ervas e achou uma trepadeira silvestre; e, colhendo dela, encheu a sua capa de colocíntidas; voltou e cortou-as em pedaços, pondo-os na panela, visto que não as conheciam.

Geazi não foi obediente ao chamado do profeta e precisou se levantar “outro”. Porém esse que se levantou precipitadamente não tinha o devido preparo, mesmo tendo ouvido a palavra do líder. Em sua determinação e força humana, ele saiu ao campo para apanhar ervas apenas para aparecer diante dos outros. Ele saiu sem autorização, sem treinamento, sem conhecer a área, sem conhecer o alimento e sem nenhuma estratégia definida. Em sua precipitação ele colocava em risco toda a “escola de profetas” de Eliseu com seu trabalhão infrutífero e sem a Unção de Deus. Ele estava tocando na morte.

A comida aparentemente parecia lago bom, agradava aos olhos, mas era veneno. Precisamos voltar à realidade da Igreja Primitiva, o oferecer o Pão da Vida aos que estão famintos.
Esse discípulo não estava disposto a “aplicar” tempo no aprendizado. Talvez achou que já sabia tudo, parecendo com alguns nos dias de hoje que desprezam o “devocional” diário com Deus. Além disso, muitos não estão sendo ensinados porque a Escola Bíblica Dominical deixou de ser prioridade em muitas igrejas. Têm-se tudo, mesmo ensino da Palavra e prática de buscas mais intensas através da oração.

A falta de conhecimento e de preparo aliado à sua atitude insensata fez com que esse discípulo trouxesse “veneno” aos irmãos. A morte tem entrado na panela por nossas atitudes e ações. Será que também não estamos colocando na panela apenas “pepinos amargos”? Como estão as suas palavras?

Não temos direito e nem somos autorizados por Deus a contaminar ninguém, nem a “tocar na morte”.
Quantos profetas estão calados nos dias de hoje? E quantos sermões são mentirosos em sua essência? Estão trazendo “ervas bravas para a panela”. Nossa santidade está comprometida por “alianças com o mundo”. A Palavra nos diz que esse discípulo “encheu a sua capa de colocíntidas”. Ele estava contaminado e contaminaria a muitos. Ele encheu sua capa de veneno. De que você tem enchido sua capa?

Versículo 40: “Depois, deram de comer aos homens. Enquanto comiam do cozinhado, exclamaram: Morte na panela, ó homem de Deus! E não puderam comer”.


A morte não pode ficar muito tempo escondida. Logo ela foi denunciada. A mentira via ser descoberta. O reino dos homens será desmascarado! Esvazie a sua panela de tudo aquilo que não presta. Para isso você precisa reconhecer que há morte na panela e procurar ajuda na Pessoa Certa e no Lugar Certo. Tudo aquilo que o diabo planejou e que você permitiu que entrasse em sua panela, será neutralizado pelo Poder de Jesus. Ele vai tirar a morte da sua panela, toda erva mortífera que foi colhida até por outro discípulo que envenenou vai sair nesse exato momento. Apenas creia e faça sua parte. Receba a Farinha de Deus em sua panela, em seu caldo. Uma nova historia Deus tem para você.

. Os discípulos, por andarem e aprenderem com Eliseu, tiveram discernimento que havia morte na panela. Com que é que você tem andado e aprendido?

Versículo 41: “Porém ele disse: Trazei farinha. Ele a deitou na panela e disse: Tira de comer para o povo. E já não havia mal nenhum na panela”.

Deus sempre tem uma saída, sempre tem uma porta para Seus filhos. Reconheça que você não pode viver da forma que tem vivido. Sem a Presença de Jesus nós morreremos.

A farinha que o profeta mandou trazer representa Jesus - o Pão que desceu do céu e nos alimenta. Jesus, a Verdadeira Farinha, foi moído em nosso lugar (Isa 53). Só Jesus tem o poder para tirar a morte da panela. O milagre de Deus ira acontecer em sua vida.


Afirmativa-Chave: Precisamos ter fome de Deus e “comermos” do Pão da Vida. Quando o Maná do Céu saciar a nossa fome, teremos condições de saciar a fome dos outros e de tirar a morte de nossas panelas 
Pergunta Padrão: Deus não nos autorizou a contaminar ninguém, nem a “tocar na morte”. Quantos profetas estão calados nos dias de hoje? E quantos sermões são mentirosos em sua essência? Estão trazendo “ervas bravas para a panela”


Gilvan Silva Santos, servo do Deus Altíssimo em espírito, alma e corpo (I Tes 5:23)

Nenhum comentário: