Ministro das Comunicações diz a evangélicos que não proibirá aluguel de horários na TV

Paulo Bernardo acalma ânimos
 junto à bancada evangélica
Após a reação da Frente Parlamentar Evangélica sobre a tentativa de proibir o aluguel de horários na programação de TVe rádios abertas, o ministro das Comunicações, Paulo Bernardo procurou acalmar os ânimos dos parlamentares.

O ministro disse ao jornal Valor Econômico que respondeu nesta quarta-feira (20) a um dos líderes da bancada evangélica e enfatizou que o governo não está propondo o fim do arrendamento de horários nas TVs.

Os parlamentares evangélicos mostraram preocupação e se posicionaram contra a minuta de um decreto que está em estudo no governo. O decreto atualiza o Código Brasileiro de Telecomunicações, de 1962, e, segundo informações da Folha de S. Paulo, cerceava o aluguel de horários nos meios de comunicação.

O presidente da Frente Parlamentar Evangélica, deputado federal João Campos (PSDB-GO), chegou a dizer que a proposta seria “absurda”.

Ele questionou se haveria um motivo para que o governo tome tal medida. “Há alguma reclamação do público? Acho que não. Se há uma brecha na lei, tem que passar pelo Congresso. Somos radicalmente contra”, declarou.

As igrejas evangélicas possuem horários arrendados em diversas emissoras de rádio e TV. A atual legislação de telecomunicações não proíbe de forma explícita o aluguel de horários nas grades de programação das emissoras.

O Ministério das Comunicações divulgou uma nota onde esclarece que o decreto mencionado não estabelece proibição a esta prática. Segundo o esclarecimento, a deliberação somente cuidará do aperfeiçoamento de procedimentos relacionado à outorga de serviços de radiodifusão.
Fonte: Gospel Prime

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

A UNIÃO ENTRE OS IRMÃOS

O Conflito entre Israel e os Palestino à Luz da Bíblia

Mateus 6:16-18