Função de todo servo de Cristo: Gerar, Cuidar, Apascentar e Nutrir - 2ª Parte: “Gerar como Videira e Frutificar em Cachos”


Não tenho dúvidas em afirmar que o Senhor Deus nos colocou aqui na Terra com o propósito de estabelecer Seu Reino, apontando que a recompensa daqueles que vivem em função de Sua vontade é um dia ser arrebatado pelo Senhor e viver para sempre com Ele (I Tess 4:17).

          Somos cooperadores de Deus aqui na terra. A exemplo do apóstolo Pedro que antes de se tornar discípulos do Senhor, tinha envolvimento com os “negócios dessa vida”, (Lc 5:10). Todavia, após conhecer o Senhor Jesus, a ele foi apresentado um “negócio” muito maior do que aquele que ele estava acostumado a fazer. Com isso, quero dizer que nós também, de igual modo, antes de conhecer o senhorio de Jesus Cristo, tínhamos o nosso negócio, o nosso estilo de vida centrado em nós mesmos, e vivemos sem a percepção do Reino de Deus. Mas, quando fomos apresentados à “Perola de Grande Valor”, Jesus nos introduziu em Seu grande empreendimento:  a edificação da Casa de Deus aqui na terra (Mt 16:18-19).

          Jesus nos deixou um modelo de oração que agrada ao Pai, manifestando o Seu desejo de trazer o Reino de Deus à terra (Mt 6:9-15).Nesse mesmo contexto, Ele também deixou registrado outro principio importante, mostrando o perigo de ficarmos ansiosos, pois a ansiedade nos leva a esquecer do Reino (Mt 6:31-33).

          Na alegoria de João 15, Jesus se descreve como a videira verdadeira (deve haver por ai, algumas videiras falsas – e como existem!) e aqueles que se tornarem discípulos de Jesus Cristo como os “ramos”, permanecendo ligados nEle, a Fonte de Vida, frutificam. O Senhor Deus é o lavrador que cuida dos ramos, para que dêem fruto (vv. 2,8). O Senhor Jesus disse que Ele é a videira, e nós, os ramos; e quando permanecemos nEle podemos dar muitos frutos (Jo 15:5). Não devemos produzir apenas um fruto, mas muitos frutos, cachos e mais cachos. Na geração desses frutos, precisamos praticar o que está registrado em I Tessalonicenses 5:19-20“Não atrapalhem a ação do Espírito Santo. Não desprezem as profecias”.  Precisamos do revestimento do Espírito Santo na pregação do Evangelho.
          Ainda no texto de João 15 percebemos dois tipos de varas, duas categorias de “crentes”:
  1. As varas que pararam de frutificar são as que perderem a vida em si; essa vida é fruto da fé e da esperança em Jesus Cristo e do nosso amor a Ele. Essas varas serão tiradas pelo Pai. Quando recusamos a permanecer em Cristo, Deus passa a ser o Juiz e a conseqüência imediata é a rejeição por parte dEle; 
  2. As varas que frutificam apresentam a Vida de Cristo em si mesma. Essas varão são constantemente limpas pelo Pai para que apresentam mais frutos. A presença do Espírito Santo em nosso ser reaviva o fluxo da Graça Divina sobre nós.
         No próximo Alimento, continuaremos a falar sobre a Videira Verdadeira...

          Em João 20:22 percebemos que o Senhor, após a ressurreição e antes da ascensão, encontrou com os discípulos e disse: “Recebei o Espírito Santo”; isso ocorreu para o nosso viver diário, para o nosso crescimento em vida. Em Atos 1:8, vemos a promessa de que os discípulos receberiam sobre eles o poder do Espírito Santo, o que de fato aconteceu no dia de Pentecostes, quando o poder veio do alto e os revestiu. Qualquer obra de expansão ou propagação que ocorra nos dia de hoje, deve ser feita pelo Espírito.
          Prioridades do servo de Jesus:
  1. Amar o Evangelho mais do que as próprias escolhas, reputação e conforto?  (II Tm 1:8)
  2. Cuidar das “Coisas de Deus” mais do que das nossas próprias. A verdade de Deus precisa ser aceita como algo que está acima das minhas convicções, opiniões e preferências. (II Tm 1:13-14) 
  3.  Atender ao chamado de Deus para minha vida acima da minha própria agenda, ou desculpas de “falta de tempo”. (II Tm 2:1-2) 
  4. Purificar diariamente a minha mente, optando por não me envolver com os “negócios dessa vida”, ou com coisas seculares e inferiores.(II Tm  2:8-10) 
  5. Ser estudante dedicado da Palavra de Deus, para não ser reprovado no “Vestibular Divino” (II Tm 2:15) 
  6. Estar pronto a qualquer momento para anunciar a Palavra de Deus, já que eu a vivencio diariamente. (II Tm a4:1-5) 
  7. Não buscar reconhecimento ou elogios de homens, mas prosseguir para o “Alvo” que nos eleva a Presença do Todo-Poderoso. (II Tm 4:6-8).
                      
  • Afirmativa-Chave:Fomos apresentados à “Perola de Grande Valor”, Jesus nos introduziu em Seu grande empreendimento:  a edificação da Casa de Deus aqui na terra (Mt 16:18-19).
  • Pergunta Padrão: Como é possível frutificar? Quais as condições para que o fruto seja permanente?
Unidos na mesma unção, na esperança da salvação.
Gilvan Silva Santos, servo do Deus Altíssimo em espírito, alma e corpo (I Tes 5:23)

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

A UNIÃO ENTRE OS IRMÃOS

O Conflito entre Israel e os Palestino à Luz da Bíblia

Mateus 6:16-18