15.10.12

Haddad e Chalita rebatem Malafaia que apoia PSDB

O candidato do PT à Prefeitura de São Paulo, Fernando Haddad, participou na  sexta-feira (12) de uma missa na Paróquia Nossa Senhora de Aparecida, em Itaquera, na Zona Leste. Ele estava acompanhado de Gabriel Chalita, que concorreu à Prefeitura pelo PMDB. Após a missa, Haddad rebateu críticas a ele feitas por um pastor num vídeo postado na internet.

Ao conversar com jornalistas, o petista foi questionado sobre as declarações do pastor evangélico Silas Malafaia, da Assembleia de Deus. Um dos repórteres relatou ao candidato que o religioso o acusa de andar de braços dados com os petistas condenados pelo Supremo Tribunal Federal (STF) por envolvimento no mensalão e que ele teve uma gestão terrível à frente do Ministério da Educação.Haddad rebateu as críticas, atrelando Malafaia,
que declarou apoio a José Serra (PSDB), ao candidato tucano.

“Quem está por trás disso é o Serra, posso te assegurar. Ele fez isso com a Dilma e vai fazer isso comigo. Ele promove esse tipo de coisa, sobretudo nas redes sociais. Ele tem um exército na rede social que promove o ódio. Ele fez isso, está comprovado por todos os meios de comunicação que noticiaram isso. Será que nós vamos esquecer dois anos depois o que ele fez em 2010? Ele está por trás disso, posso te assegurar que o que ele está fazendo é a mesma estratégia de 2010, só que deu errado. O que ele tinha que entender é que esse tipo de prática vai dar errado”, disse Haddad.

Em evento à tarde, ao comentar a mesma polêmica, Serra disse que o petista reagiu às críticas porque não sabe explicar "o chamado kit gay" e que segue o "padrão José Dirceu". "
Haddad a cada dia está virando o Zé Dirceu", disse ele.

No vídeo em questão, publicado em um site evangélico, Malafaia afirma que Haddad foi um dos piores ministros da Educação do país. “O senhor, como ministro da Educação, foi um dos piores do país. O senhor não teve nem competência para coordenar o Enem”, afirma. “Quem tentou instrumentalizar políticos é gente que você [Haddad] anda de braço dado, e que foram agora condenados no Supremo Tribunal Federal”, diz ainda o pastor.

Convite de Chalita
Haddad, que tem criticado o atrelamento de religião à política, afirmou que sua ida à missa ocorreu em resposta a um convite feito por Chalita. O peemedebista, que já teve um programa de televisão em um canal católico, fez uma das leituras previstas para a celebração -- um trecho do livro de Ester, do Antigo Testamento.

“Eu tenho estado presente em algumas solenidades importantes. No fim do Ramadan eu fui em uma mesquita, no Ano Novo judaico eu fui numa sinagoga. Penso que São Paulo tem essa característica de congregar muitas crenças, num espírito de muita paz. Acho importante para a cidade a sinalização de que o poder público vai respeitar a fé do povo, qualquer que seja ela, sem privilegiados", disse Haddad.

O candidato conversou com o padre Rosalvino Morãn sobre uma possível parceria envolvendo a Obra Social Dom Bosco, fundada em 1981 pelos padres salesianos na região do Itaquera, e o Programa Nacional de Acesso ao Ensino Técnico e Emprego (Pronatec), programa do governo federal que oferece educação profissional para jovens.

"A instituição Dom Bosco pode chegar com mais forca em São Paulo. Eles vão poder fazer um plano de trabalho de quatro anos, durante todo o próximo mandato, e com recursos federais e seleção do governo municipal nós vamos poder duplicar ou até triplicar o atendimento que ele tem hoje. Hoje ele praticamente não tem apoio governamental", disse Haddad.

O petista lembrou que a obra social já possui equipamentos e laboratórios, mas que pode ser "potencializada" para atender de 5 mil a 6 mil jovens. Hoje, o projeto tem cerca de 2 mil alunos.

Fonte: G1 

Nenhum comentário: