Salvador celebra Dia Nacional de Combate à Intolerância Religiosa


Um concerto da Orkestra Rumpilezz, sob o comando do maestro Letieres Leite, agraciará os participantes da celebração do Dia Nacional de Combate à Intolerância Religiosa, que acontece neste sábado (21/01), no Salão Nobre da Reitoria da Universidade Federal da Bahia (UFBA), a partir das 9h.


A Roça do Ventura, de tradição jeje-mahi, é um dos mais antigos terreiros de candomblé do país. Situado no município de Cachoeira, a 110 km de Salvador, o terreiro enfrenta, desde 2010, uma batalha contra a invasão das suas terras. Em setembro daquele ano, um empresário que alega ter posse de parte da propriedade, ordenou que máquinas “limpassem” o terreno, destruindo árvores centenárias e sítios sagrados para os cultos religiosos. “A luta que a Roça do Ventura vem travando, com apoio dos ministérios públicos estadual e federal, e de entidades da sociedade civil, se tornou um novo ícone do combate à intolerância religiosa. Por isso, achamos mais do que justa esta homenagem”, destaca a ouvidora-geral da Câmara, vereadora Olívia Santana (PCdoB), responsável pelo tributo. 

Além da cerimônia, o projeto, que conta com o apoio do Governo do Estado, da Fundação Cultural Palmares, dos ministérios públicos Estadual (MP-BA) e Federal (MPF-BA), e da Federação Nacional do Culto Afro-Brasileiro (Fenacab), lançou na última semana, uma campanha publicitária com o objetivo de promover o respeito à diversidade religiosa. Com o tema “Respeito às Diferenças”, a campanha está sendo veiculada através de outdoors, de chamadas em emissoras de rádio e de sites de notícia, além das redes sociais. “Precisamos fazer com que cada vez mais pessoas tenham acesso a esta questão e reflitam sobre a intolerância religiosa. Vivemos em um Estado laico e precisamos fazer valer o direito à liberdade religiosa. Acreditamos que, com a campanha, damos mais um passo neste sentido”, avaliou Olívia.


Homenagens
Também serão homenageados na cerimônia os quatro personagens que cederam as suas imagens e vozes para o projeto. A yalorixá Mãe Stella de Oxóssi, o médium e líder espírita José Medrado, o padre Gaspar Sadoc e o pastor Djalma Torres receberão os agradecimentos dos realizadores do projeto pela participação na campanha, onde representaram e confraternizaram as distintas matrizes religiosas. 

Olívia Santana é autora do Projeto de Lei que instituiu o 21 de janeiro, como Dia Municipal de Combate à Intolerância Religiosa, na forma da Lei 6.464/04. A iniciativa serviu de inspiração para a Lei 11.635/07, de autoria do deputado federal Daniel Almeida (PCdoB-BA) e sancionada pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva, instituindo a data como o Dia Nacional de Combate à Intolerância Religiosa, e incluindo-a no Calendário Cívico da União para efeitos de comemoração oficial. 

O dia 21 de janeiro marca a passagem da morte da yalorixá Gildásia dos Santos, conhecida como Mãe Gilda. A líder religiosa passou por uma série de complicações após ter sido atacada pelo jornal Folha Universal, da Igreja Universal do Reino de Deus, no ano de 1999, vindo a falecer no ano seguinte. Na matéria, a yalorixá foi tratada como “charlatã” e “macumbeira”. Após o ocorrido, a família da vítima encampou uma luta jurídica em busca de punição para os culpados, obtendo êxitos e enfrentando alguns revezes, como a redução do valor inicialmente fixado para a indenização. O caso se tornou um emblema da luta contra a intolerância religiosa. Com informações do VERMELHO


jovensqueoram.blogspot.com

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

A UNIÃO ENTRE OS IRMÃOS

O Conflito entre Israel e os Palestino à Luz da Bíblia

Mateus 6:16-18