“Se Deus é tão poderoso e tão bondoso, por quê existe o sofrimento e o pecado no mundo?”

Luiz Sayão, escritor e pastor batista, abordou o tema no seu livro recentemente lançado pela editora Hagnos “O Problema do Mal” no evento da Feira Literária Internacional Cristã (FLIC) 2012, em São Paulo, neste último sábado.

Em entrevista ao The Christian Post, Sayão falou sobre o livro, a questão do sofrimento, suas próprias experiências passadas e a teologia da prosperidade.

O “Problema do Mal” é focado no livro de Habacuque do Antigo Testamento, abordando o assunto do sofrimento e do mal vs a bondade e o poder de Deus. Segundo ele, essa questão é a mais difícil na história da teologia.

Segundo Sayão há vários aspectos do sofrimento que deve-se considerar. O sofrimento pode, por exemplo, ser em decorrência de um abandono, de ruptura com Deus e ele não necessariamente traz amadurecimento.

Entretanto, em muitos casos, o autor explica que o sofrimento permitido por Deus pode conduzir ao amadurecimento. E isso também “dependerá da reação da pessoa diante do que está acontecendo”.

Assim, nem sempre todo o sofrimento amadurece, mas pode trazer a possibilidade para a pessoa ter um momento de reflexão e como consequência realinhar sua relação com a vida e com Deus. Neste sentido, ela pode amadurecer.

O próprio Sayão teve sofrimentos passados o levaram à maior maturidade espiritual atual. Ele revelou dois momentos difíceis de sua vida. O também pastor batista não viveu com seus pais e sofreu com isso de maneira intensa até os 12 anos quando conheceu o Evangelho. Além disso, Sayão experimentou o nascimento de um filho diagnosticado com altismo, o que foi um outro momento difícil em sua vida.

“Tive duas experiências muito intensas e que Deus em sua graça me abençoou mais do que eu merecia”, disse ele depois de brincar que seu filho está hoje “melhor do que ele próprio”.

O estudioso afirma que as pessoas tem a tendência de ficar desanimados porque há no mundo muita injustiça. A mensagem do livro de Habacuque, diz ele, revela que na “hora de sua grande consternação perante o mal, o justo prosseguiria e sobreviveria por causa de sua fé e sua fidelidade”.

“A maneira como Deus constrói coisas bonitas nesse mundo que superam o pecado e sofrimento é por meio das pessoas que foram alcançadas por ele. A resposta de Deus não é uma resposta tão racional. É uma resposta por meio da nossa vida que se torna um canal de bênçãos para a vida das outras pessoas”.

Teologia da Prosperidade

Sayão confirma que um estilo de vida baseado na teologia da prosperidade, fazem com que as pessoas tenham mais dificuldade de aceitar o sofrimento como uma obra, uma permissão de Deus.

Segundo ele, a “teologia da prosperidade”, o “espírito exageradamente triunfalista” de determinados grupos acabam perdendo a referência de que Deus constrói coisas extraordinárias e especiais por meio dos sofrimentos que Ele permite na vida das pessoas.

“É uma perda muito grande. O pessoal só saber comemorar, mas não saber lamentar e chorar quando preciso.”

Luiz Sayão é pastor da Igreja Batista Nações Unidas, em São Paulo (SP), tradutor da Bíblia e coordena atualmente a publicação da primeira Bíblia Brasileira de Estudos pela editora Hagnos.
Luana Santiago contribuiu para este artigo.
PorAndrea Madambashi | Repórter do The Christian Post

Comentários

Anônimo disse…
Quanta besteira, Dor, sofrimento e "pecado" se prefere assim chamar sempre existiu e sempre existira. Infelizmente coisas ruins acontecem com todos independente de religião pois é algom natural e estatístico. Se algueéém acredita que o Deus cristão pode melhorar a vida de alguem ou protegelo de algum mau deveria estudar um pouco mais o assunto ou visitar o site "http://divinaprotectio.blogspot.com.br/".

Postagens mais visitadas deste blog

A UNIÃO ENTRE OS IRMÃOS

O Conflito entre Israel e os Palestino à Luz da Bíblia

Mateus 6:16-18