26.5.12

O DRAMA DA MORTE


 “Graças a Deus, que nos dá a vitória por 
intermédio de nosso Senhor Jesus Cristo.”
1Co 15.57


A morte é o sinal de igualdade na equação da vida. Chega a todos irremediavelmente: ricos e pobres, doutores e analfabetos, velhos e crianças, religiosos e ateus. O encontro com a morte é inevitável. Até Jesus voltar todos terão de atravessar esse vale sombrio. Por mais que a morte seja certa, não nos acostumamos com ela. Não fomos criados para a morte. Sempre que a morte coloca suas mãos geladas em quem amamos, abre sulcos de dor em nossa alma. Sempre que ela nos espreita, ficamos sobressaltados. A morte é o rei dos terrores. A morte, porém, foi vencida. Ela não tem mais a última palavra. Jesus arrancou seu aguilhão.


Jesus matou a morte com sua morte e trinfou sobre ela em sua ressurreição. Não precisamos mais temer a morte. Podemos dizer como Paulo: “Onde está ó morte a tua vitória? Onde está ó morte o teu aguilhão? Tragada foi a morte pela vitória”. Agora, morrer para o cristão não é mais sinal de desespero. Morrer é deixar o corpo e habitar com o Senhor. Morrer é partir e estar com Cristo, o que é incomparavelmente melhor.


ORE



Senhor, é bom saber que as garras da morte não podem mais me prender. Através da morte e da ressurreição de Jesus eu sou livre dessa perversa escravidão. No nome precioso de Cristo.

Nenhum comentário: